domingo, 17 de fevereiro de 2013

Esqueci-me de referir que tive uma sorte do caraças em sair-me um filho meiguinho, que me enche de beijos e abraços e que é verdadeiramente apaixonado por mim (é tão recíproco, meu Deus!).

E lembrei-me da pipoca e da leididi que dizem que os blogues delas não vão virar baby blogs (eu, que ando nestas andanças desde 2004 - que horror! -  jurei a pés juntos o mesmo, e desde final de 2009 foi o que se viu... Boa sorte para elas - e parabéns obviamente!)

Um filho doente em casa faz-nos delirar

Dois meses. DOIS meses minha gente. 60 dias, mais coisa menos coisa, com o pirata sem estar doente. Só quem passa sabe. Só quem passa pode perceber isto de já darmos por nós a contar os dias. Mas como não há mal que sempre dure também não há bons tempos eternos. Na quinta ligaram para ir buscar o besnico ao colégio. Febre (a tosse e o ranho estão com ele desde... setembro?). Hoje é domingo e a tosse e o ranho e a febre persistem. Cheira-me que amanhã visitamos o hospital. Sempre é uma maneira de ele sair de casa (passa os dias "mãe, vamos para a rua, vamos para a escola, por favor" QUEM O VIU E QUEM O VÊ). Mas pronto, a qualquer momento pode saltar um adenoide do meu filho pela boca tal é a tosse dele. A verdade maior de todas é que quanto mais velhos vão ficando mais fácil lidar com as inúmeras doenças infantis fica. Ok, e um i-phone ajuda muito para os entreter com as milhentas aplicações existentes. E um leitor de dvd. E um portátil. E a tv. E o mickey, esse senhor. E o ruca. E o noddy. E o jake e os piratas. E a dora a exploradora. E pandeiretas e micro ondas e tachinhos e panelinhas e esfregonas e baldes e papel e lápis de cera. E legos. E máquinas registradoras. E carrinhos. E cubos com letras e números. E puzzles. E lotos. E livros. E cabanas em casa. Sim, que a minha sala é um verdadeiro jardim de infância e só tenho um filho, nem quero imaginar. Já estou a delirar. Eu sei. Mas é o resultado de muitas horas em casa a tentar entretê-lo. Pobrezinho. Meu querido. Filhoco minhoco da mãe. Já disse que as crianças não deviam ficar doentes? Mas os adultos também não, ora essa, quem cuidaria deles?

(vou ali e já volto)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

babadices

Sou a única mãe a ficar enternecida com o seu filho a brincar sozinho, neste caso aos comboio que param "está vermelho!!" e andam "agora está verde", "uhuhuhu" "pouca terra" e corre pela casa!!!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Quem já passou por isto, ponha o dedo no ar


(quando digo isto, refiro-me a uma de duas situações: ter um filho cheio de febre e ranho e tosse há dias e chegar ao médico e ele dizer "não é bactéria por isso vamos esperar que passe. É um virus! Nada a fazer para além do soro no nariz, do xarope para a tosse e eventualmente uns vaporzinhos" OU cada vez que se vai com o puto ao médico o dito receitar SEMPRE antibiótico, até pode nem precisar mas "vai tomar pelo sim pelo não")

(resumo: preso por se ter cão e preso por não se ter)
(maravilhas da maternidade, vá...)
(e a propósito disto, o pirata não fica doente desde a noite de natal, podemos mesmo dizer que tem sido a loucura, hahahah)

O pássaro sou eu


(não se preocupem, nada de grave, mas o desemprego que começou como uma espécie de férias já entrou no modo "#$%&/())(/&")

Desabafo

Não é por maldade, mas se vamos a uma entrevista de trabalho e nos dizem "no espaço de escassos dias dizemos alguma coisa, porque de facto temos urgência em ver isto resolvido" (num dos dois casos seria para começar já depois de amanhã) e depois nem um telefonema nem um mail nem um sinalzinho de fumo e nós desempregados que sofremos de ansiedade que nos lixemos, então porra mais vale estarem caladinhos. Nós precisamos mas caramba já ouviram falar em educação? Em valores?

(já não me aguento, e sim, até posso estar a fazer uma grande tempestade e acabar por ser chamada mas isso não justifica que não digam nada, quanto mais não seja se percebem que o processo atrasou. Somos humanos, foda-se)