terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Regresso ao passado

E passados anos a fio a usar lentes de contacto, eis que apanho uma conjuntivite e uma queratite (vide Google) nos 2 olhos e eis que só posso usar óculos.

 

(não querendo ser uma besta para os demais que diariamente envergam estas coisas na cara, sinto-me uma verdadeira ET cheia de tiques. “ora endireita ora limpa as lentes ora mexe aqui ora mexe ali”)

 

percebemos que andamos a descurar

Quando uma colega de trabalho nos diz “tens de fazer o buço”

 

(#$%&/)

 

 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

À Carla que comentou o meu blog

Não faço ideia qual era o livro... o post é de 2005 e eu devia ter deixado o título para o caso de existir uma situação destas... desculpa :(

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

(Yeh right)

Supostamente isto não tinha virado um baby blog.

pirata II

O pirata conta até 40. E conta para trás de 10 até 0. E sabe o alfabeto todinho. W, Y, X incluídos. E as cores? Chega à loja da swatch das amoreiras e começa "amarelo amarelo amarelo azul azul azul verde verde", e vai apontando para os relógios. Pega nos cubos com letras e faz a palavra FOX. Ele é FOX, ele é XOF ele é OFX. Vale tudo. Escrevemos o nome dele e perguntamos o que está ali e ele grita contente "Pedro!". Ama o Mickey. E o Pocoyo. E o Ruca. E o Noddy. E o Sid ciência. OK, e o "American Dad" e os "Simpsons" e o "Family Guy". E o canal 10 da zon. E pega no comando e já sabe pôr nos canais que quer. 64. 10. 42. De olhos fechados. Às vezes tenho receio que o "jovem" esteja avançado de mais. E depois, para contrapor, jogar à bola? Só com a mão. Trapalhão que só ele. Engraçado que só ele. E adora os legos. De todas as cores e tamanhos. E faz puzzles daqueles de encaixar como quem come uma bolacha. E folheia livros e revistas com uma atenção e um preceito que eu própria não tenho. Adora lápis e canetas e papel e que escrevamos os números e letras para ele ir dizendo.

(será que vai ser daqueles nerds que leva calduços na escola?)

pirata

O pirata atirou-se da cama de grades. Alçou a perna e "cá vai disto". O pirata é reguila e ficou com o nariz negro e a sangrar. O pirata agora é crescido e dorme na cama nova, baixinha, do ikea. O pirata adora a cama. O pirata também adora cirandar a meio da noite pela casa até que alguém o encontre e o leve de volta "à base". E na sesta, quando acorda já não chama. Levanta-se e aparece na sala. O pirata teve o seu primeiro dente aos (quase) 19 meses e com 2 anos e 3 meses contamos-lhe 9. E outros tantos a romper ao mesmo tempo. E umas febres a fintar-nos. E num dia passeamos com ele e no outro fica de molho. E até já temos medo de sair com ele porque no dia seguinte fica com tosse ou ranho ou febre... O pirata é MESMO pirata. O pirata é mesmo flor de estufa. Não vale a pena "tapar o sol com a peneira". E agora passeia pela casa com o seu robe às riscas e parece um homenzinho em ponto pequeno. O pirata é delicioso. O pirata já pede para dormir "mamã, chucha leitinho e óó". O pirata chegou a tomar atarax 3x ao dia e nem isso o fazia andar prostrado. Continuava a correr a casa toda e a dormir o número de horas habitual. O pirata pode arder em febre e continua a correr tudo "cheio de pica". O pirata virou sociável com o virar do ano. Há mesmo quem atribua a responsabilidade ao Clamoxyl. O pirata adora tudo quanto é tio e tia que brinque com ele e o pegue ao colo e esteja atento às suas tropelias. O pirata é o homem da minha vida e faz-me ganhar (ou será perder?) anos de vida.

(se penso noutro? of course not, don't be ridiculous)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Dona Maria

Foi trabalhar lá para casa tinha eu os meus 7 anos. Começou logo por me fazer a melhor canja de galinha que algum dia provei e por me dar os melhores mimos do mundo, estava eu com uma ganstroentrite. Dali a fazer parte da família foi um passo. Ia-me buscar ao ballet. Fazia os melhores cozinhados desta vida. Recebia os nossos amigos como sendo dela. Quando a mãe ia para congressos, ficava a dormir lá em casa e tomava conta de nós e para nós eram dias maravilhosos. E as vezes que fui com ela de férias para o Mogadouro. E fiquei com a família dela. E as vezes que fomos para a praia quando a família cá vinha. E de criança fiz-me mulher. E da primária passei ao ciclo e à secundária e a faculdade passou e ela esteve sempre lá. Quando a minha cama ficava desarrumada por mim e pelas minhas amigas, dizia zangada "parece o ninho do cão". Quando já não nos podia aturar, eramos 3 pestes, dizia mal à sua vida. três alminhas de férias a acordar à uma da tarde e ela chegava, abria as janelas e dizia "toca a andar que tenho de arrumar os quartos". E nós não piávamos. E no natal, dia 24, ia fazer bolos e comida todo o dia, mas antes avisava "não quero ninguém em casa, nem para almoçar". E as vezes que dormi na casa dela. E os bifes com batatas fritas caseiras e um molho de mostarda divinal. Sabia melhor o que cada um gostva ao ponto de a minha mãe dizer "não comes isto?" e ela entrar e dizer "oh, ele não gosta, fiz um prato para ele de propósito". E os casamentos dos meus irmãos. E do neto dela. E vê-la a diminuir, com a idade. E a ter problemas de costas. E a queixar-se. Mas a ser incapaz de parar de trabalhar, Estava-lhe no sangue e parar não era para ela. E aturou-me os desgostos amorosos. Os stresses dos testes e exames. Cada ida ao dentista com 12 anos em que toda eu tremia. E os quilos de roupa que tinha sempre para lavar. "cada dia cada camisa, não pode ser". O tempo que cada um levava no banho que a levava a intervir e a dizer "não se pode gastar água assim e vocês ficam esquecidos". E quando a mãe ficava com um, porque era operado ou algo semlhante, lá estava ela a tomar conta dos outros. E a fazer bons lanches para os nossos amigos. E a meter-nos todos na ordem. E a deliciar-se com o meu sobrinho baguito, o único que conheceu. Hoje foi um dia triste. O meu mundo ficou mais pobre. E chorei toda a manhã. E nada a vai trazer de volta. E não há volta a dar.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

f.....-se

Reacção alérgica ao clavamox, forte e feia. O meu filho parece um Cristo. Nem a cara escapou. E tomar o atarax é uma aventura... e agora está com febre outra vez. O que se seguirá? Façam-se apostas!

(agora fim-de-semana sem ir à urgência é uma raridade)
(cheira-me que a próxima ida será à bruxa)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Post da revolta?

Hoje algumas pessoas decidiram fazer greve e lixar a vida a uns quantos milhões de outras igualmente pessoas. Tenho para mim que isto está tudo menos para greves e que se as fazem é porque não devem precisar do cargo que ocupam... Hoje era só marretas nas estradas. Marretas sobreviventes e que não se podem dar ao luxo de faltar "só porque há greve". Hoje foi complicado. Diz que hoje é o dia da semana, segundo um estudo manhoso qualquer, ideal para se fazer sexo. Não sei se os senhores grevistas ficaram em casa a fazê-lo. Mas sei que f"$%& a cabeça a quem não fez. A cabeça e a vida. E sei que isso me deixa nervosa. Pela parte paga o todo. E é comer e calar. Aguentar e não chorar.