quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O primeiro dia do resto da vida dele

O primeiro dia do resto da vida dele foi ontem. Eram 9 horas e entrámos no seu novo mundo. Muita criançada. Muito choro. Muita risada. Muita cantiga. Muitas idades. O pirata esteve lindamente enquanto estive por perto. Foi ao escorrega e na sala dele sentou-se a brincar sem grandes problemas. O pior foi na hora de eu me vir embora. Nem sei descrever. O que me confortou foi ver outros tantos miúdos a reagirem de forma igual e outros tantos pais tão perdidos quanto eu. Despedi-me, saí, ele ficou a espernear e a chamar. Dor no coração. Fui buscá-lo à tarde e ele estava normal, sem sinais de ter chorado muito tempo. Vinha com um presente para a mãe feito por ele e contou-me o que almoçou e que fez óó e desenhos e que esteve com a Paula, educadora dele.

(hoje fui levá-lo e custou mais que ontem, já sabia para o que ia e só me puxava para a porta. Queria ir passear ao parque. Fazer o que sempre fez até aqui. Ficou a chorar novamente. Despedi-me e vim embora. Custa para burro... e nunca mais são 16h30...)

3 comentários:

Panda disse...

É mesmo como dizes é assim com toda a gente. Lá no meu trabalho andam as mães todas com essa conversa :) faz parte de vida e por mais que custe eles depois lá distraem-se e brincam muito com os amiguinhos. A despedida é que custa.

tata disse...

Vai passar! Mais depressa do que imaginas. Um dia dás por ti a ir buscá-lo e ele a fugir porque não quer ir para casa!

Juanna disse...

Ai Rita, à segunda filha ainda sinto o mesmo. No seu primeiro dia de escola dos "grandes", como ela diz, chorou desalmadamente. Eu aguentei firme e hirta (engolindo muito em seco) mas o pai não aguentou e foi a chorar no meu ombro até casa :)