domingo, 1 de julho de 2012

Casais, férias em separado, o que pensam disto?

Cá em casa, desde que o crianço nasceu, que temos as férias a 3, as férias a 2 e as férias em separado. Isto tem uma razão de ser e este post se está a ser redigido é porque um anónimo deixou uma mensagem a explicar que não entende e coiso e tal.

A questão é a seguinte: o puto é pequeno. Nós não temos avós ou quem quer que seja disponíveis e que nos digam "olhem queridos, deixem o miúdo uma semana e vão espairecer". Os avós têm a vida deles, ficam para irmos jantar ou passar umas horas fora mas a situação de o deixarmos uma semana com eles ainda não é possível. Também porque nunca foi habituado a isso e agora é mais complicado deixá-lo, não está habituado a dormir fora de casa porque nunca tivemos essa abertura... e depois, podemos deixá-lo com uma baby-sitter ou afim, podemos e já o fizemos duas noites seguidas no máximo. Porque tudo se paga. Mas não dá para ser tanto tempo. A carteira não deixa...

Conclusão: fazemos as nossas férias normais a 3. Temos os nossos fins-de-semanas a 2, os nossos jantares, cinemas, saídas, o que seja. E para finalizar, damo-nos ao luxo de, se se proporcionar, ir com amigos passar uns dias fora, em separado, em alturas distintas. Quando um vai fica o outro com o pirata e vice versa. A sanidade mental é algo que se paga bem caro se não fizermos estas coisas. E depois, é bom para o casal. Porque não? Antes de existir o casal existia toda uma vida com amigos e amigas e uns dias fora com os ditos nunca fizeram mal a ninguém. Há de chegar o dia em que vamos para esses sítios os 3, em que o pedro vai estar mais crescido e já dá para o juntar a estes passeios.

O batato foi agora, eu fui em Maio e já tinha ido antes e ele idem. Não vejo mal nenhum. Entendemo-nos assim. Compreendo que nem todos percebam. Mas há todo um desgaste face à existência de uma criança e como tal momentos a 2 e momentos sozinhos com amigos são cruciais. Volto a dizer, a minha opinião vale o que vale. As pessoas são diferentes. Há quem não largue os filhos por nada. Há quem precise de respirar. Há quem pegue neles bebés e viaje pela europa e para países tropicais. Há de tudo. Feitios...

(e caro anónimo, estes temas são sempre interessantes de debater e como tal pode identificar-se, não doi nada)

23 comentários:

Pec disse...

Sinceramente acho que tens uma visão muito saudável das coisas. Nenhuma relação a dois (ou a mais, com os filhos) nos pode apagar como indivíduos e apesar de gostarmos como é óbvio de passar todo o tempo juntos somos mais que "essa ilha". Ui, e quem me diz que tempo com os amigos ou sozinha é estranho... com certeza que cada um tem a sua opinião, mas para mim seria impensável alguém me limitar esse espaço. :)

Mamã de Salto Alto disse...

Eu acho uma bela ideia.Não vejo problema algum.....

ann.dorinha disse...

Sinceramente, não sei bem o que pensar.
Por um lado entendo a tua perspectiva mas por outro fico uma pergunta na cabeça: então mas só se consegue ter sanidade mental havendo férias em separado?

Unknown disse...

Muito bem e que assim se mantenham os 3. A felicidade não é apenas feita em casa. Também se traz para casa!! BV

Anónimo disse...

Concordo a 100%. Só faz bem à união familiar :) Assim há tempo para tudo!

maria ribeiro disse...

Concordo plenamente!! Acho que fazes muito bem :) ás vezes tb precisamos de umas férias dos maridos!! Que é tudo mt lindo mas ás vezes dão-nos cabo da cabeça :D e depois é sempre bom voltar, e matar umas saudadinhas :) não é por passarem uns dias separados que vão deixar de gostar um do outro ou vão ficar chateados por um ter ido e o outro não, que ridículo -.-
Eu tenho 4 filhos e continuo a ter tempo p'ra ir de férias com eles e com o marido, só com o marido, e de quando em vez com amigas! Acho que é saudável, e ás vezes a distância só nos faz perceber como gostamos dos nossos :)

Beijinhos

Anónimo disse...

Não escrevi o comentário a criticá-la, a si em particular, escrevi o comentário para si porque foi você que escreveu sobre a viagem do seu companheiro.

Concordo quando diz que havia vida antes de o conhecer, mas acredito que se uma pessoa se torna nossa companheira e pai/mãe dos nossos filhos é porque essa pessoa é mais importante que todas as outras e, acima de tudo, é o seu melhor amigo/a.

Também concordo quando diz que não tem avós com quem deixar o seu filho pois eles têm as suas vidas. E deixar o seu filho com amas tem custos e não dá para a carteira.

Mas ir para Itália, Espanha, França, onde seja, também tem custos... o dinheiro é vosso.

Se funciona convosco, ótimo!

Por fim, escrever o meu nome no fim do comentário não serve de nada. Escrever Manuel Joaquim ou Joana Almeida vai dar ao mesmo.

Repito, não a critiquei a si em particular. Aliás, nem tenho nada que a criticar, a vida é vossa, não minha. Apenas não consigo entender, nem aceitar, tal situação. Comigo não funcionava. Não sou melhor nem pior, nem vocês são melhores nem piores. São formas diferentes de estar num relacionamento.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Percebo lindamente e acho que faz imenso sentido!
No entanto, acho que férias em separado é um bocadinho demais. Talvez um fds! Uma semana de férias sem ele ia ser uma seca.

Eu tb tenho imensa dificuldade em deixar os meus filhos... E desde que passei para o segundo ainda ficou pior! Sei bem o que é precisar de descansar sem crianças! Faz tão bem!!!! A nós e ao casal!

ann.dorinha: acho que a sanidade mental que a Rita fala não tem a ver com o marido! Mas em passar uns dias sem ter de se preocupar com xixis e cocós e leites e sestas, e noddys e carrinhos, e birra porque quer um gelado e birra porque não quer! Bla bla bla!

Nós, mães, somos humanas! Amamos os nossos filhos acima de tudo! Mas precisamos de fazer xixi sozinhas e tomar banho de porta fechada de vez em quando, e comer uma refeição inteira sem ter de dizer: come de boca fechada, não entornes a água, senta-te direito à mesa! :P

Juanna disse...

ann.dorinha, eu acho que a Batata frisou bem que este é o ponto de vista DELA. Há quem fique bem a fazes férias sempre com os putos em cima, há quem queria uns dias longe, há de tudo e de todas as cores.

Rosa Cueca disse...

A felicidade de cada um passa por eprceber as zonas de conforto e o que faz o outro feliz.
Se é ser-se lapa, força. Se é ser-se mais desprendido, força também.
Desde que exista sintonia.
Para mim férias verdadeiras são apenas a dois.
Quando o G. vai connosco obviamente que não estamos a trabalhar, mas chegamos ao fim do dia de rastos porque o puto nasceu com um stock de red bull interno e ainda só tem 14 meses, que fará daqui a 2 ou 3 anos... (nem quero pensar lol).
Desde cedo o habituámos a ficar umas noites por vezes com os tios, ou os avós, é saudável para o desenvolvimento dele, para a relação com a família para além do núcleo pai+mãe e não me sinto de maneira nenhuma pior mãe por me permitir ter umas folgas. Aliás, é o que me deixa continuar a ser uma boa mãe, porque ninguém que esteja cansado física e mentalmente consegue dar o seu melhor.

gralha disse...

Cada família sabe de si, ponto final.

PINTA ROXA disse...

Tambem penso assim e ainda bem que estão os dois de acordo.
pior é quando um tem a mente aberta e o outro acha que bom mesmo é passarem 365 dias por ano juntos.
Boa semana

Helena Barreta disse...

Eu acho bem e saudável, antes de sermos um casal ou mãe/pai, somos únicos e uns dias de férias afastados com quem vivemos todos os outros dias é bom.

E quando os filhos são mais crescidos que o seu, principalmente quando já são estudantes, acho fundamental terem férias sem os pais, seja em colónias de férias, na aldeia com os avós, férias desportivas.

Rita disse...

vamos por partes (e obrigada a todos!): n s consegue ter sanidade mental SO c as ferias em separado. p nos ha os 3 tipos (a 2, a 3 e sozinhos); anónimo, percebi o seu ponto de vista. temos dinheiro para ir uns dias para esses países que refere pq poupamos nesse sentido a questao é q se formos sempre os 2 juntos, acresce o valor da ama, indo so um, o outro cuida do pirata; quando vamos os 2 nao ultrapassamos as 2noites por isso mmo :( e assim acabo por responder a quem falou em ir uma semana sozinha para fora. nenhum dos 2 faz uma semana fora sem o outro, no maximo 4 dias. n aguentamos... ha a saudade e a preocupaçao... n queroa feria susceptibilidades, é so a minha opiniao... :)

Patrícia Teodoro disse...

Cada família tem a sua forma de funcionar e por isso é uma família, quando não encontram a sua maneira de funcionar deixam de o ser. Por isso cada um sabe qual é a maneira como se sentem bem e felizes e assim criarem crianças felizes e adultos saudáveis...e sim nós pais somos humanos, gostamos de aproveitar o que a vida tem de bom...e há coisas que se fazem sozinhos, a coisas que se fazem a dois e outras que é para toda a famíla

CAP CRÉUS disse...

Se está tudo equilibrado, não vejo nada de mal.
Há espaço para tudo.
Não sejam saloios, sejam sim de mente aberta!

Ly* disse...

Se vocês se entendem assim e se vos sabe bem, acho que é uma boa solução.
Eu, por acaso, acho que não me dava muito bem com isso... Mas cada qual tem de gerir a sua vida conforme quer!
Beijinhos :)

Lótus disse...

Depois de ler algumas opiniões aqui...Resta-me dizer que ainda há malta que pensa. Pensa que sabe tudo! Sorte...marreca.

HOPE disse...

Ferias em família, sempre.
Escapadinhas as a dois, sempre.
Ferias sozinhos, seria incapaz. E ele também :)
(e temos 3 filhos!)

Chicca disse...

Acho que o importante é o casal estar de acordo. Para mim não faz sentido férias sem ser a 3. Tenho a certeza que não iria "gozar" as férias a 100% e não me considero uma mãe galinha. Não sinto essa necessidade de estar só a dois ou com as amigas.
Além disso, não acho que tenho o direito de empatar a vida da família para poderem ficar com a minha filha para eu ir laurear a pevide. Um dia, uma tarde, um jantar, um cinema, tudo bem, mais que isso, acho que não.

Nicole Inacio disse...

Acho que é importante é a harmonia, não ser tudo separado... a pessoas que ouço o que um jantar de amigos e levar o marido porque? E porque não? Ah não me sentia a vontade e não era eu? Isto para mim é preocupante eu sou eu sempre com o meu rapaz e sem ele alias sou menos eu (em situações de jantares de trabalho com colegas) sem ele do que estando com ele... Depois tenho os meus momentos... vou passar a tarde na amiga, ele fica em casa ou vamos os dois fazer jantares com amigos em comum e estamos cada um a falar com os respectivos amigos... e temos momentos a dois... Férias sozinha não conseguiria faz-me confusão... não por não ser eu... mas porque ele e eu sempre estivemos juntos e quando não estamos juntos é como se o quadro não estivesse completo... Contudo adoro estar sozinha a ler um livro ou ir com a amiga as compras....

Anónimo disse...

Percebo o objectivo mas sinceramente eu consigo ser eu mesma numas férias a 2 pois basta estar sem os filhos (temos 3) e conseguimos ter mais tempo e horários relaxados. Podemos namorar sem interrupções e divertirmo-nos os dois e ter na mesma momentos para nós. O meu marido é o meu melhor amigo e quero partilhar com ele as férias, mesmo que sejam, para estar um a dormir até mais tarde enquanto o outro vai andando para a praia/esplanada/piscina...aí sim deve-se ter momentos em que fazemos e estamos em sítios diferentes.

Respeito a sua preferência mas vejo isto a reboque da moda da relação aberta/saudável/gosto de ti mas posso viver sem ti e sou o máximo só eu....

beijinhos e divirta-se nas férias todas :)

Rita

João disse...

Olá, ir de férias sem a minha família é impensável. Afinal ando um ano à espera desses dias para estarmos todos juntos sem pensar em trabalho, escolas, TPCs, etc etc. Não faz muito sentido separar-me das pessoas que mais amos na melhor altura do ano, mas como se disse aqui, cada um sabe de si! :)