quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Post da revolta?

Hoje algumas pessoas decidiram fazer greve e lixar a vida a uns quantos milhões de outras igualmente pessoas. Tenho para mim que isto está tudo menos para greves e que se as fazem é porque não devem precisar do cargo que ocupam... Hoje era só marretas nas estradas. Marretas sobreviventes e que não se podem dar ao luxo de faltar "só porque há greve". Hoje foi complicado. Diz que hoje é o dia da semana, segundo um estudo manhoso qualquer, ideal para se fazer sexo. Não sei se os senhores grevistas ficaram em casa a fazê-lo. Mas sei que f"$%& a cabeça a quem não fez. A cabeça e a vida. E sei que isso me deixa nervosa. Pela parte paga o todo. E é comer e calar. Aguentar e não chorar.

9 comentários:

V disse...

Amén! Ainda hoje via as imagens das entradas da estações do metro no telejornal e pensava "se estas pessoas fazem greve e não se manifestam, andam a fazer o quê?".

Mamã de Salto Alto disse...

Quando estava grávida de 7 meses também houve uma greve geral...fartei-me de protestar pelas 2 horas a pé,prenha,que fiz do Campo Grande ao Lg.do Rato...ufa

Alexandre disse...

Lá está. É um post com revolta e com muita razão. Eles têm o trabalho garantido, fazem greve quando querem porque estão-se a cagar para os utentes.

CAP CRÉUS disse...

FDP!
Por isso fiquei em casa, porque não tenho de pagar 2x para ir trabalhar.
Chulos!

Anónimo disse...

Faço greve porque posso...alguém há tempos lutou para que fosse um direito, que uso quando me tiram a alimentação dos meus filhos, de certo compreenderás.
Certamente há tempos faria sentido este post...no tempo em que as liberdades eram poucas e os instalados censuravam quem lhes incomodava a vida burguesa.

Respeitosamente

Eduardo disse...

quem faz greve fica sem receber um dia. não ganha nada com isso, não fica a fazer sexo. E arrisca ser despedido. É um ato de coragem e não de preguiça ao contrario do que muita gentinha gosta de dizer. Está a usar um direito de luta contra os atentados que o Governo esta a fazer contra o sistema de transportes públicos. E um dos protestos dos grevistas era contra o brutal aumento dos passes, que todos os utentes pagam. Informem-se antes de falar pf. Demagogia, demagogia... eu tb sou utente, ontem andei quilómetros a pé , mas estou solidário com quem tem de lutar contra o que nos estão a fazer. Insurjam-se contra os que andam a esbanjar dinheiro em bancos corrutos e não contra trabalhadores que so querem exprimir a sua revolta contra estes aumentos brutais de preços em simultâneo com uma diminuição e supressão de serviços.

CAP CRÉUS disse...

O Sôr Eduardo além de usar o acordo ortográfico também gosta de servir de capacho aos grevistas.
Portanto o Sôr Eduardo pagou por um serviço que não pode ter e acha bem.
Se os trabalhadores querem exprimir a revolta, exprimam de outra forma, por exemplo abrindo as cancelas e ninguém paga. Mas não ! recebem a guita do passe e depois rovoltam-se.
E não venham falar do 25 de Abril e do direito à indignação e blá blá blá.
Tenham santa paciência!

Eduardo disse...

"Sôr" Cap Créus, quem recebe a guita, como diz, é a empresa. os trabalhadores com o dia de greve, so perdem o salario desse dia, não ficam com a "guita" dos passes. Ja agora, em Inglaterra os jornalistas da Reuters vao estar em greve dois dias desta semana por "só" terem aumentos de 1.75% este ano. Também são uns preguiçosos, ou como é uma profissão "chique" já têm direito a fazer greve sem que sejam apelidados de comunistas? Melhores Cumprimentos.

Carina disse...

Rita,

Sigo o teu blog há um tempo, mas depois deste post tenho pena de dizer que já cá não volto!
As pessoas não fazem greve "porque sim", fazem greve para lutarem por aquilo que acham justo, para lutarem por uma vida melhor para os seus filhos, para lhes poderem por comida na mesa todos os dias...
Este post mostrou uma insensibilidade tremenda por aqueles que lutam por si próprios, (perdendo o dinheiro de um dia de trabalho) e também por todos os outros cidadãos! Porque a luta não é feita no singular... é feita para todos, para um país melhor...
Espero que nunca te falte nada a ti e aos teus, sinceramente!