quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Férias e filhos e descanso

De volta das férias. Não completamente revigorada. Um casal com um puto de 20 meses 24 horas por dia, sem mais ninguém, é de bradar aos céus. Está na fase da loucura. Das birras. Das descobertas. Das asneiras inconscientes. A sesta dele era o nosso respirar fundo. E quando o deitávamos à noite, idem. Mas é bom. Sinal que é vivaço, mexido, corre tudo, passa os dias a dizer "a e i o u", a contar até 10, pega-nos na mão para dizermos o nome de cada letra que aparece nas revistas ou nos livros ou na TV. Está esperto até mais não. Dá-nos a volta num segundo. Também berra como um bezerro quando é contrariado. E atira-se para o chão. E bate nele. Tudo para chamar a atenção. E nós ficamos chocados a olhar para ele. E ele ao fim de 5 minutos volta ao normal. Mas falando das férias, correu tudo bem. Passou a voar. 2 semanas que pareceram 2 dias. E esta semana o pai batato já foi trabalhar e eu estou sozinha com o pirata. Podem não acreditar mas desejo que seja segunda, altura em que a pessoa que toma conta do pingente volta de férias, para poder gozar e descansar essa semana antes de começar a trabalhar. Sim, dia 16 é o dia! Será que isto faz de mim má mãe?

12 comentários:

Lunka disse...

Nada disso Rita! Quando tiveres um time-out do teu pirralho lê este livro: "As confissões de uma mãe desnaturada", vais rir-te bastante e rever-te em algumas situações.

Sandra disse...

Claro que não!!
E mais mães deviam partilhar estes desabafos para evitar culpas ou remorsos.
Tantas fazem questão de não dar parte de fracas ou até tenham algum pudor em afirmar o que lhes vai na alma, que nos fazem sentir desnaturadas.
"ai o meu dorme a noite toda desde que nasceu."; "Ui, o meu é raro chorar e faz 10 sestas durante o dia.";" Ah o meu menino é um doce, tem dezoito anos e nunca fez uma birra ou sequer amuou."
Não são poucas as vezes em que também sinto o cansaço, a rabujice e a neura atingir-me com um raio fulminante.Penso e digo disparates em chorrilho.
São puros desabafos, ai de nós que lhes aconteça alguma coisa!
Em férias já me aconteceu ficar num pranto e declarar sem rodeios que, para continuar sem dormir, descansar ou usufruir do local (ainda por cima ODECEIXE!!)mais valia regressar a Lisboa...
No entanto, acrescento que são apenas os primeiros 2 anitos, vá. A partir de agora é sempre a melhorar!

Juanna disse...

Eu que o diga que estou sozinha com uma chavala de 22 meses que não me deixa nem beber um café sem uma birra monumental.

Maffa disse...

Sua desnaturada!! Näo deseja estar todos os dias 24 horas com o seu filhote?? entäo é má péssima mäe!?!? Ah ah estou a gozar.
Caramba, nós precisamos de ser pessoas, ter a nossa vida e eles de estar longe da mäe. Faz-lhes bem! criam independencia e portam-se melhor!! 20 meses é uma idade dificil, sempre a testar limites e com birras constantes.
beijinhos

Juanna disse...

Acabei de a deitar e deixar a choramingar sozinha. Preciso de me sentar, fumar e estar alone 10 minutos.

Rita disse...

joana, tas melhor do q eu... adormece na minha cama. dps vai p a dele umas horas e a meio da noite volta p a nossa.... ufa!tudo pq o pai n consegue ouvi.lo chorar.
Lunka, vou comprar o livro HOJE! :)

scbmf disse...

Espero que não! Também tenho desses "desejos"! São a luz dos nossos olhos, a melhor coisa da nossa vida, mas é preciso descansar um bocadinho!

Catarina disse...

Olá...tenho uma filhota de 8 anos e que até aos 2 anos foi muito complicada. Tive a sorte de até aos 3 anos estar com as avós, depois passou a frequentar o Jardim de Infância (na aldeia onde os avós vivem - a cerca de 6Km de onde vivemos). Deixava-a de manhã e trazia à tarde, uns dias por outros passava a noite nos avós. Aos seis passou a frequnetar o 1º Ciclo na vila onde vivemos e aí descambei...ele é aulas, ele é actividades extra-curriculares, eles são reuniões de pais, ele é catequese, ele é escuteiros, ele é ballet...e quem é que coordena isto tudo? EU...euzinha, depois de 7 horas de trabalho...estou sempre a desejar as férias escolares, pois nessa altura L., "exige" ir para casa dos avós e só regressar ao fim de semana, como ela diz "para ter férias dos pais"!

Ontem, depois do jantar saí com o meu mais que tudo para um café e passear um bocadinho a pé e pensei, tão bom...estarmos assim os dois, e logo de seguida pensei...devo ser má mãe!!! Será que as outras mães, não têm estes sentimentos? Provávelmente não têm e eu sou uma "cabr.." desnaturada!

Mas gosto tanto da minha filha, tanto, tanto!!

Pronto, estou a falar de mais...Mas fiquei feliz por ver que não sou a única MÃE, que não prescindiu de ser mulher!

Um beijo (vizinha)

gralha disse...

Eu também quero uma pessoa assim :)

Rita disse...

mariana referes.t a uma pessoa que tome conta deles? Era isso ou escola. Fizemos contas e preferimos dar u pouco mais e ter quem nos faça mais qualquer coisa em casa p além d cuidar brincar e passear c ele. Eu sei q m queixo d barriga cheia e q era aí q querias chegar. Shame on me. Mas as pessoas são diferentes e têm estofos diferenTes. Shame on me

Maria disse...

Má mãe!!! O siléncio agora vale ouro!
Experiência de uma mãe a triplicar. Hoje com 14,15 e 18 anos foi duro, mas não houve "birras". Passei férias sozinha com os dois, e depois com os três. O mais velho calmo e muito sossegado, o do meio um traquina e a ultima um meio termo , o que me dava liberdade de sentar num café sem niguem se levantar da cadeira nem pedir nada. Ir às compras a um supermercado e não pedirem nada a não ser que eu disse-se que eles ainda não tinham gasto a "moeda" mas era para os três igual.Foi-se tornando habito as pessoas olharem para mim e até mesmo perguntarem se precisava de ajuda, se era casada, até mesmo oferecerem-me ajuda.Sentia-me envergonhada pelos olhares. Hoje continuamos a fazer férias os quatro uma ou duas semanas e são uma bela companhia.Momentos a sós com o meu marido só durante oito anos e eram 50m por dia ao almoço.Hoje com mais Liberdade não a sabemos utilizar! Quando estamos sozinhos faz-nos "mal" o silencio. É ironico mas é verdade.Como mulher esqueci-me um pouco de viver. Como mãe que me julguem os outros, acharem que o devem fazer porque eu não vou julgar ninguem. Só posso dizer que como mulher Rita : - Não te esqueças de viver!

Anónimo disse...

Olá Rita! Ainda não sou mãe, nunca senti o desejo louco de o ser. Sei que vou ser um dia, mas esse instinto de maternidade que consome nunca o senti. A justificação que dou para ainda não o ser é precisamente o medo que tenho de me anular como mulher e como pessoa. Gosto de viajar, conhecer novas realidades, usufruir da boa vida percebes? Eu ainda estou no incio de vida como casada (mesmo assim já lá vão quase 2 anos) e sinto que ainda tenho muito para viver a dois. No entanto é por me aperceber que há pessoas que sentem aquilo que imagino que irei sentir que me conforta ;) beijinho