terça-feira, 26 de julho de 2011

aversao a putos

Hoje na praia de altura onde ha familias e criancas por todo o lado uma alminha chegou e so dizia 'longe de criancas que nao tenho que as aturar'. E procurou procurou e lixou.se. Parecia de proposito. Eram aos magotes. E ainda mandei la o pirata para falarem um bocadinho o dialecto de bebes. Nao o fiz porque o batato gajo serio nao me deixou. Ha gente estranha. Nao curtem criancas. Ok. Mas elas estao la e nao mordem. Manquem.se pa. E algo que me diz que se deus for grande a criatura vai ter logo trigemeos para ver o que a casa gasta. A sonsa

11 comentários:

Isis disse...

É normal que quem não tem filhos ou sobrinhos não lide muito bem com o barulho e corridas dos pequenotes. Mas têm um bom remedio.. camiiiiinham e camiiiiinham e lá devem encontrar um lugar sem familias. Assunto resolvido.

Eu não gosto de barulho e realemente em sitios atolados de gente os putos passam a correr e mandam areia para cima.. solução? sair dali :D essa senhora não sabe que a solução é fácil :D

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Eu sou normalissima, gosto de miudos e adoro as minhas sobrinhas.Mas qd vou para a praia dou sempre um lamiré para ficar o mais longe possivel de familias com crianças...não berro:"Ai os miudossss!" mas eu e o meu marido trocamos olhares cumplices qd estamos a escolher o poiso.
Sabemos que as crianças não nos mordem...mas do mesmo modo que elas têm direito a ser crianças e a fazer barulho, gritar, chorar, levar grandes reprimendas dos pais (é rara a vez em que não ouço o tipico : "Oh Tiago não corras sujas as pessoas" " Oh Teresa já te disse para saires da água!"), correr e não reparar que espalham areia e água por todo o lado...

...também nós temos direito a estar na praia sossegados sem ser incomodados ;) Por isso optamos sempre por ficar o mais longe possivel

(e sim, conheço muito bem Altura e está sempre cheia de familias...por isso vamos de férias sempre em Setembro )

Sei que isto para algumas pessoas com filhos é imcompreensivel, mas é assim mesmo que somos e é assim mesmo que agimos ;)Assim somos todos felizes :-)

Maria Filipa disse...

ola!leio o teu blogue tds dias e hoje tenho que discordar da tua opinião. Somente porque acho que existem crianças ás quais sem a mínima culpa não foi dada educação ou qualquer norma de civismo, e como tal não se sabem comportar. Aí atribuo a culpa aos pais que não educam em casa e depois querem que em público se portem bem... só para parecer bem. E dado que a praia é de todos e não tem zonas exclusivas acho que todos temos que nos adaptar e tal como ha pessoas não suportam o barulho de crianças tu também podes não suportar outras coisas as quais é obrigada a ouvir ou gramar. O mundo é de todos e todos somos diferentes, nem melhor nem pior, diferentes.

beijocas e boa praia!

Anónimo disse...

Sou mãe de dois filhos, uma menina e um menino com 11 e 6 anos respectivamente. Tenho 34 anos. Quando nos é permitido, eu e o meu marido tiramos férias de crianças para namorar...e nessas alturas dizemos várias vezes: "porque é que não há sitios sem criancinhas", ou "vamos para ali que não me apetece ouvir estas criancinhas adoráveis"...
E comentamos: quem nos ouvir falar diz que somos daqueles casaias que não tem, não terá e não suporta crianças...

NC. disse...

Ahahaha muito bom o teu blogue :D Parabéns!

Se eu pudesse... disse...

Se não gostam de ouvir os putos, ñ vao para praias "familiares" vão para o Meco ;) bah

A mamã da Beatriz... disse...

Têm bom remédio! "Palmilhem" a praia até achar um bocadinho em que não estejam as crianças "infernais"! Pior é estar na praia e passar o canito, estar a levar boladas dos adultos (sim, muitas das vezes nem sao adolescentes!) que se metem junto à água a jogar à bola!

gralha disse...

Pode ser que, com a crise, privatizem as praias e passe a haver praias só para adultos :)
(ah, e adorei o teu comentário naquela fraude de blogue que é o às 9 no meu blogue)

Francisco disse...

Nao seria a Pipoca Mais Doce, não?
Percebo bem essa sensação. Eu que tenho 3 rapazes, e que , por mais atenção que tenha, as vezes não consigo garantir que, numa praia cheia e eu sozinho com os 3, não pisem uma toalha ou nao molhem alguem quando estão a brincar à beira mar...
Não gosto, e digo-lhes sempre para terem cuidado, mas as vezes nao da para evitar. E depois o que fazer? desatar a bater nos pequenos porque salpicaram alguma pessoa mais sensivel?
. Aí viriam essas mesmas pessoas que criticam os putos , mas a crticar os bárbaros dos pais...
Enfim, há gente chata! e especialmente ha gente que nao faz a minima ideia o que é controlar 3 muidos o dia inteiro!
Claro que os temos de educar e ensinar o respeito pelos outros, mas ha outras pessoas que olham para as crinças comos e fossem leprosos e isso, à partida, deixa logo qq pai desconfortável.
é preciso tolerancia de parte a parte. E eu tornei-me muito mais tolerante com os anos, mas parece que nem toda a gente assim é...
cumprimentos, gosto do seu blog , ja o leio ha muito
Francisco

Cor do Sol disse...

Eu sou Educadora de Infância, adoro crianças e ao fim de semana ou em férias a não ser que sejam os meus sobrinhos quero é muita distancia de crianças, muiiita.

Anónimo disse...

Olá, infelizmente hoje em dia vemos muitas crianças ( pais incluidos ) que acham que só por serem crianças podem tudo, inclusivé incomodar os outros com as brincadeiras. Todos podemos brincar sem incomodar os visinhos do lado é preciso é respeitar o espaço dos outros. Não nos podemos esquecer que a nossa liberdade acaba qd começa a dos outros.