sábado, 5 de fevereiro de 2011

É tão verdade...

Os homens podem estar dispostos a andar ao estalo por causa de um carro mal estacionado ou a carregar móveis sozinhos pela escada – "Fica quieta, eu faço isto sozinho" –, mas espirram três vezes seguidas e começam a queixar-se como se fossem vítimas da peste. Podem não choramingar com uma entrada a pés juntos no jogo de futebol das quintas-feiras depois do trabalho, preferindo ladrar: "Eu já te fodo uma perna", mas com calafrios na pele e a garganta inflamada precisam tanto de colo como um cão triste de calendário. Podem aguentar um funeral sem um vacilo nos joelhos, bater com a porta a meio de uma discussão, suportar o frio por causa do casaco emprestado aos ombros da namorada, mas basta uma congestão nasal com subida da temperatura do corpo para se meterem na cama esperando chás, torradas, maçã assada, mimos e comprimidos em vez supositórios. Não saberia explicar que atributo da biologia das mulheres permite que conduzam um camião durante uma febre flamejante enquanto têm um ataque de tosse e mudam uma fralda. Sobre o gene masculino da pieguice, sei que nós até podíamos ir trabalhar ou sair para comprar remédios ou mudar de roupa interior, mas preferimos a posição fetal na subcave do edredon. Talvez sejamos assim por causa das mães com mãos curativas, por causa da nossa preguiça de homens adultos ou da noção que o corpo, afinal, não é de borracha como na infância a saltar telhados. Talvez sejamos mesmo mais piegas do que gostaríamos de ser. Mas também é possível que só queiramos ver televisão na cama como quem falta à escola em dia de teste. in ionline

5 comentários:

Juanna disse...

Lol tenho aqui um gajo em casa que hoje de manhã se começou a queixar de dores de garganta e a suspirar. Perguntei-lhe se quer fazer o testamento e olhou-me com olhos tortos.

Joao Manuel disse...

Os homens, como bons defensores dos "seus territórios de caça", protejem "com unhas e dentes" as suas "fêmeas" e as suas "crias", mostrando-se autênticos "troncos de árvore" a que elas se podem "agarrar" quando "o barco vai ao fundo", mesmo quando já são adultos ... e nunca os desprotejendo ...(lembraste da última cena do "Dr. Jivago" quando o irmão pergunta à sobrinha, filha dele e da Lara, "qual é o pai que abandona e perde um filho no meu de uma multidão ...?". Assim faz qualquer progenitor com "as suas crias" e as "suas fêmeas" ...). mas por outro lado, anseia sempre pelo conforto dos carinhos maternais, dos mimos maternais do sabor da comida da mãe (por muito que ela não preste ...) que é algo que deixas as mulheres em perfeito "transe" ...

Anónimo disse...

Lindo, lindo ... nós gostamos deles na mesma mas às vezes é tão irritante !!!
Beijocas
SM

Juanna disse...

Lembras-te que há 2 dias te disse que o meu gajo anda a cambalear pela casa? Pois continua...agora anda a antibiótico e diz que não faz efeito e que quer ir ao hospital tomar penicilina.... oh God...

Anónimo disse...

Sinceramente não tenho paciência para eles nessas fases...são tão ridículos e hipocondríacos que se fico por perto normalmente dá bronca...um amigo meu está há uma semana sem sair à rua porque está com dor de garganta, só vai trabalhar a custo e mesmo assim queixa-se muito! Não acho normal!
IRF