segunda-feira, 29 de março de 2010

HÁ NECESSIDADE?

Vasco Vasques, Silvia Silva, Fernando Fernandes, Pedro Pedroso, Bárbara Barbosa, Catarina Catarino, Marco Marques, etc, etc, etc.

(é feio. redundante. de mau gosto. E de certeza que haverá, pelo menos, mais um nome de que também gostam muito. Não há mesmo necessidade. E ninguém merece. Muito menos um filho/filha vosso).

Baguito da sua tia

E o meu sobrinho mais velho, o baguito, de 5 anos, que agora, volta e meia, pede aos pais para lhe comprarem mais "gormitts" (vejam no google o que é...). E o meu irmão e cunhada perguntam pelos bonecos dele, aqueles que ele leva para o colégio e não traz de volta. E o cuca responde no alto da sua bondade "emprestei ao meu amigo, para sempre".

(gosto tanto dele, mas tanto, que até doi :)

E eu devo ser muito antiquada...

Surreal surreal são os miúdos abancados à porta do pavilhão atlântico a uma semana do concerto dos tokio hotel. Eu, ingénua, achava que era para conseguirem comprar bilhete. Mas não, é mesmo para conseguirem ficar bem à frente e verem bem o espectáculo. Portanto, montaram tendas à porta e ali permanecem. Miúdos de 13 anos. Os pais estão na boa. E a vida é bela. E amarela.

(é bom que o meu filho não cresca muito rápido porque acho que não tenho estofo para estes filmes...)

sábado, 27 de março de 2010

Pequenos e inofensivos

O pedro já esteve internado durante 3 dias. O andré, da ana, esteve o mesmo tempo. A mada, da coconafralda, está internada, o gui, da belinha, idem. O meu sobrinho esteve o ano passado.

(merdinha mais às bronquiolites, gastroentrites, viroses, febres altas, e tudo o demais que deixa os nossos pequeninos em camas de hospital... - isto para não falar das doenças mais sérias... ninguém, mesmo ninguém, merece)

(força belinha e gonçalo)

27 de Março


Parabéns à patareca da minha sobrinha Constança que faz hoje 1 ano :)


sexta-feira, 26 de março de 2010

Duplos parabéns

Ao pingente mais pingente de todos, que faz 4 meses hoje :)
À amiga mais amiga de todas, e 'madrinha' mais 'madrinha' de todas do pingente, e que faz 31 anos, hoje :) (entre parentesis porque ele não é baptizado!)

meujamoressssssssssssssss mais lindos :))

quinta-feira, 25 de março de 2010

Quem tem o Brazelton tem tudo!

Aos 4 meses o bebé:



"início de uma atitude cautelosa em relação a quem não conhece" check

"a rotina das refeições passa a ser dificultada por outros interesses do bebé - que quer olhar e dar atenção ao que se passa à sua volta" check

"O bebé vai querer pegar no biberão" check

"sentem necessidade de outros alimentos, podem acordar mais de noite com fome" check

É já a seguir...

E eis que voltei a menstruar. E o cabelo está a cair-me assim aos magotes. E voltei a ter borbulhas. E dores menstruais. Entre gravidez, inchaço, vómitos e isto, venha o diabo e escolha... (na gravidez o nosso cabelo todo ele brilha, a nossa cara toda ela está lisinha...)

(e, como tal, vou já encomendar o próximo filho!

quarta-feira, 24 de março de 2010

De cú tremido

Hoje passámos a tarde no passeio. Metade do caminho com ele no carrinho foi feito pela estrada, já que os passeios ou estão cheios de buracos ou têm carros estacionados...
Depois, fomos ao café ter com a belinha, a susi e a ana, as três estarolas deixaram os bebés em casa... o pedro esteve sossegado, bebeu o biberão, encostou-se, passou 10 minutos pelas brasas e dali fomos os dois até ao corte inglés laurear a pevide. Comprámos uns sapatos para ele e um presente para a prima que faz 1 ano neste sábado.

Escusado será dizer que chegou estafado a casa... que chatice...


segunda-feira, 22 de março de 2010

Bem-vinda primavera

No fim de semana, o pingente foi passear com o pai, no marsupio que recebeu no dia do pai. A coisa correu de tal maneira bem que... adormeceu!!

E fomos almoçar fora e pela primeira vez levámo-lo a um centro comercial, onde ele olhava para tudo muito espantado, e a casa dos tios. E o sol brilhou durante dois dias, literalmente e sem ser literalmente.

É bom a primavera ter chegado. Menos frio, mais sol, dias mais longos, mais passeios, menos roupa. Ui ca bom!

sexta-feira, 19 de março de 2010

Palavras para quê?







Desde que nasci, tens sido o melhor pai do universo e arredores. Muitas vezes levei-te à exaustão. Outras às lágrimas. Outras às gargalhadas. Mas tens sido, neste 4 meses da minha existência, um pai exemplar. Obrigado papá!



(Feliz dia do pai) Para o meu pai

Quando era pequena, ansiava pelos fins-de-semana passados contigo. Atirava-me para os teus braços e o tempo nunca era suficiente para matar todas as saudades que eu sentia. Para colmatar a tua ausência. Um dia, perguntaram-me se gostava mais do pai ou da mãe. Pergunta rídicula. Que não se faz a uma criança. Jamais. Em tempo algum. Na minha inocência e de brilho nos olhos, respondi que era do pai. Quando dormia em tua casa, lembro-me dos meus terrores nocturnos, típicos de criança, apaziguados pela tua voz suave a dizer-me que estava tudo bem. As nossas idas a casa da tia lálá, no saldanha, eram o ex-libris do fim-de-semana. Era a melhor tia avó do mundo e arredores. Já as idas a casa da avó velhinha, como era carinhosamente chamada, na almirante reis, , eram, pelo menos para mim, um martírio. Estava velhota e fazia-me uma espécie de medo. Mas sei bem como gostavas dela e a boa relação que mantinham. Uma coisa que sempre detestei que me fizesses, era quando iamos de férias. Dizias que ias buscar-nos a uma hora e depois chegavas muito mais tarde. Não se faz. As idas a acampar ficaram para a história. Eras o pai "bacano", que nos levava juntamente com os nossos amigos. Na primeira vez, fui eu, tu e os manos rapazes. Eu dormia contigo na tenda. Tu protegias-me. Nos anos seguintes, lá conseguimos levar a "maria mijona" e eu e ela ficávamos no iglo. E depois fomos eu, tu e os manos rapazes, passear pelo Minho e La Coruña. E as férias na pedra mourinha, tudo ao molho e fé em Deus, já a nossa caçula mafalda vinha a caminho. E oeiras. E a piscina. E o pedro e a maria mijona a partirem a cabeça e a ficarem com os dedos entalados, porque eram traquinas. E o nuno sempre rebelde e a tomar conta de nós. E os 100 mil kms da peugeot. E o gato que acho que se chamava kitty. E as minhas idas para casa da sandra maria. E os presentes dos avós que eram sempre a duplicar, para mim e para a maria, para o nuno e para o pedro, só mudavam as cores. E os chocolates oferecidos pela tia mila, da favorita. E o teu cheiro a sabonete. E os teus bolsos sempre a rebentar com papeis e carteira e tlm. E o quanto eu gosto de ti, que vai daqui até à lua, com volta incluída. Tanto que até doi. És o pai que és. Não escolheria outro. Com os defeitos incluídos. Porque não somos perfeitos, como um dia te disse a avó. És o meu bichinho de eleição. Só meu.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Cócós, birras e afins

Ontem estive prestes a dar o pingente para adopção. O puto, desde que eu cheguei do funeral da minha avó, até ir dormir à noite, chorou o tempinho todo. De ir às lágrimas. De pensar "oh caneco, mas dá para haver tradutores de bebés???". Uma coisa que só vista. Esteve 24 horas sem fazer cócó e quero acreditar que devia ser isso que o estava a incomodar. Habituado a presentear os pais com cagadas monumentais, um dia para ele deve ser de doidos. À noite fizemos-lhe um bebegel. Lá se aliviou.

Já não estou a amamentar. Está com um leite artificial a tempo inteiro. Logo, a conclusão que tiro é que a culpa é todinha minha.

(se bem que hoje comeu e de seguida cagou-se todo, roupa incluída, e eu respirei de alívio. Vamos rezar para que o intestino da criança se adapte rapidamente)
(ah e tal, o cócó dele agora é precisamente da cor que estou a usar para escrever isto. hehehe. verdinho, espessinho, muito mas muito mal cheiroso e assemelha-se a uma sopa passada em termos de aspecto. eu sei que não me perguntaram nada, mas isto de ser mãe tem destas coisas! há que partilhar!)

domingo, 14 de março de 2010

Adeus avó


Desde que o avô morreu, não houve um dia em que não te visse chorar. De saudade. De vazio. De quem esteve casada uma vida. Quando soubeste que eu já não ia casar, ligaste-me e fizeste-me ver que a felicidade estava mesmo à minha frente. Quando fiquei grávida, voltaste a ligar-me, desta vez eufórica pela minha alegria. Foste ao hospital ver-nos, quando o Pedro nasceu. No Natal, quando me viste a comer tudo e mais alguma coisa, advertiste-me que isso podia passar para o leite, para ter cuidado. Não sei se teve a ver, mas o que é certo é que logo de seguida o teu bisneto esteve internado durante 3 dias... Sabias mais da vida do que nós todos juntos.

Eras pessimista e negativa, e acho que herdei isso de ti. Mas também eras uma mulher de garra. "Vestias as calças" lá em casa. Contigo, andava tudo na linha. Ainda me lembro de te ver a falar com o avô "oh Fernando!", alto e bom som!

Há uma semana estivemos a festejar os teus 87 anos. Ofereci-te uma moldura com uma foto tua com o Pedro ao colo. Já ma tinhas pedido no Natal e eu, desnaturada, falhei.

Há uns dias atrás estava a escrever isto a rebentar de orgulho e alegria. Hoje continuo orgulhosa mas estou, inevitavelmente triste. O teu coração não aguentou. E o meu está destroçado. Partiste quando ninguém esperava. Sem te despedires. Quero acreditar que foste, finalmente, realizar o teu desejo: juntar-te ao amor da tua vida, onde quer que ele esteja. Quero acreditar que encontraste a tua paz.

(manda beijinhos ao avô e diz que sentimos a falta dele)

quarta-feira, 10 de março de 2010

19 de Março

O dia do pai está a chegar. O primeiro dia do pai do batato. Olarilas :)

Pingente comilão

O pingente anda com mais fome. O pingente dificilmente aguenta as 3 horas entre mamadas. O pingente vira um biberão de 200 ml com leite meu. O pingente quando fez 3 meses teve ordens para beber no máximo 150 ml. O pingente em duas semanas virou lobo. O pingente esta noite acordou de 3 em 3 horas, tipo relógio, quando toda a vida fez a noite seguidinha.

Cheira-me que o meu leite por si só já não é suficiente. Ai o caracinhas. Dizia a médica "ah e tal tente dar só o seu leite até aos 6 meses, sem mais nada". Deve ser verdade. Venham as sopas, e as papas, oh fax favor, e um suplemento. Não queremos cá crianças esganadas. Podemos poupar em tudo. Não na comida do pingente.

(ok?)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Modas à parte

Não pesco nadinha de moda, nadinha é mesmo nicles, niente, rien de rien.

Agora... e a propósito da gala dos óscares, tenho uma questão que me persegue há anos:

porque raio mulheres de cor "estou morta e ninguém me avisou", "esquálidas", "pálidas", brancas que só elas, insistem em ostentar vestidos praticamente da cor delas, onde tudo se confunde?

Não percebo, querem o quê??

quinta-feira, 4 de março de 2010

Tu sabes quem

Recebi o teu mail/carta. Amei. Foi o primeiro que me escreveste. Li e reli inúmeras vezes. Sorri outras tantas. Porque, de facto, és tão, mas tão importante para mim. O bichinho maior. O que cheira a sabão. O que dá os melhores abraços. O que me deixa "sem jeito" tantas vezes. Em pensamento, ainda desco as escadas a correr para te encontrar, como noutros tempos, em que era pequenina e esperava ansiosa por essa hora.

Amo-te

(obrigada pelos sábios conselhos. de coração)
(ainda assim, não quero almoços, pode ser?)

terça-feira, 2 de março de 2010

Temos progressos

Pela primeira vez o pingente mais pingente cá de casa dormiu a sesta da manhã na sua cama de grades. Até adormecer esteve na brincadeira com os bonecos, a dar "socos" neles, a dar gargalhadas e a rir que nem um perdido. E depois adormeceu. Grande maluco!

(by the way, acho que se contam pelos dedos das mãos as vezes em que falei com ele ou falei dele e referi o seu nome... tadito, tão pequeno e já tão cheio de alcunhas, ehhe).

Pai, tens alguma coisa para me dizer?

Esta noite sonhei que o meu pai chegava da Austrália e me trazia um Koala de presente. Era tão mas tão dengoso e mimoso e querido e não me largava e depois começava a chover torrencialmente e o Koala transformava-se com a água, ia crescendo e crescendo e crescendo. Ao estilo dos gremlins que viravam maus. E o meu pai ia pagar uma super multa por ter trazido o animal.

(estou bonita estou...)

segunda-feira, 1 de março de 2010

O que dizer sobre isto?

Uma criança de 10 anos morreu quando caminhava para a catequese e lhe caiu uma árvore em cima.