quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Amizade (ou não)

Nunca fui pessoa de cortar relações. Pelo contrário. Sou e serei sempre pessoa de muitos e bons amigos. Preocupada com os meus. Não deixo nenhum amigo na mão, em ocasião alguma. E quem me conhece, sabe isso. Acontece que algumas dessas vezes essa preocupação é confundida com má intenção. Até aqui tudo bem. Reconheço que sou assim "pro desbocada". E que isso pode gerar, de quando em quando, mal entendidos. Agora, por todos os santinhos, tenham paciência, mas se há coisa que me "faz comichão" é que pessoas que tenho como amigas tenham alguma coisa em relação a mim que as incomoda e não sejam capazes de vir falar comigo. Isso deixa-me chateada. A sério. Essa brincadeira deixa mossa. Essa brincadeira faz com que questione essa suposta amizade. E pronto, chega o dia em que essa brincadeira custa a amizade. Porque não somos só amigos para dizer disparates e para dar palmadinhas nas costas. A amizade é um todo. Quem não percebe isso não pode ser meu amigo. Que me desculpem.

(e nunca na minha vida fui tão drástica em relação a este assunto como fui agora)
(há mesmo uma primeira vez para tudo)

3 comentários:

Eu é mais bolos disse...

Eu também penso como tu. E ás vezes sinto-me um alienigena no que à amizade diz respeito. Dá a triste impressão de as pessoas apenas considerarem amigos aqueles que lhes passam "a mão pelo pêlo" e não quem lhes diz a verdade por... ser amigo. Eu não faço isso com quem não me interessa, será que é assim tão difícil de perceber?
Mas até que enfim que vejo alguém com valores que não sejam desvirtuados como a maioria...

Panda disse...

Eu era como tu mas cheguei a um ponto em que comecei a cortar relação. Infelizmente para mim não havia muitos e bons, os bons eram aliás pouquinhos e eu quando alguém me apronta alguma coisa, nunca mais consigo voltar a falar-lhe. Tenho para mim que não é defeito, é feitio.

Joao Manuel disse...

Vocês vão começar a perceber que não vale a pena irritarmo-nos com "bizantinisses" ou discussões de "sexo dos anjos" porque, como descrito no "post" acima, a vida é "muito curta" ... deveremos sim "estar alerta" e "não deixar que nos amachuquem ..." nem nos magoem nos nossos valores mais sagrados e mais interiores ...