terça-feira, 4 de maio de 2010

Caso prático

Um pai recebe da segurança social a licença de paternidade. Meses depois, recebe uma carta a avisar que se enganaram e lhe pagaram mais do que seria suposto. Deve então dirigir-se à tesouraria da SS para efectuar o pagamento do dinheiro que caiu na sua conta, por erro. Com prazo. Sujeito a juros. A pessoa em causa desloca-se à dita tesouraria. O horário é das 9 às 16h, sem fechar para o almoço. Na porta diz "hoje, excepcionalmente, fechamos das 13 às 14h". coincidência ou não, a pessoa foi pagar na hora do almoço, porque trabalha, porque tem mais do que fazer.

(ninguém explicou o pq de terem fechado. ninguém quis saber)
(eu pergunto: o erro foi deles, a pessoa tem de lá ir pagar e ainda leva com estes filmes? Que merda de país é o nosso?)

5 comentários:

paulinha disse...

É o país que é uma merda, é o que é... Outro exemplo: hoje o meu querido pai recebeu uma carta do tribunal de Castelo Branco (é testemunha e considerado especialista na situação em causa). É um processo que dura há anos, que não ata e não desata, mas que obriga a deslocações pontuais, mas que destabilizam e cansam. A carta que recebeu hoje diz que tem que estar presente esta sexta feira na dita cidade. Diz também que tem 5 dias úteis para justificar a impossibilidade de comparecer. Ora, como é que se justifica com 5 dias de antecedência quando já só tem apenas 3 dias para o fazer??? Ridículo, não??

diafeliz disse...

E o que dizer de alguém receber uma carta enviada do instituto nacional de estatística para a sua familiar falecida há 4 anos preencher um questionário sobre hábitos de consumo? De Bradar aos Céus!

Helena Barreta disse...

A mim já nada me espanta, mas fico furiosa.

Eu, já depois de ter feito a operação que há muito estava à espera, recebi, por duas vezes, a notificação com o "cheque cirurgico" para escolher o hospital onde queria ser operada. Aquando da 1ª carta, respondi que dessem o cheque a outra pessoa, pois eu já não precisava, na 2ª carta, já nem disse nada.

É triste.

VDA disse...

É isso mesmo, uma merda!

Joao Manuel disse...

Para quem não saiba: A DEVOLUÇÃO DE VERBAS RECEBIDAS INDEVIDAMENTE NÃO TEM DE SER FEITA POR INTEIRO IMEDIATAMENTE DEVENDO ANTES SER FEITA FRACCIONADA EM PRESTAÇÕES