segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O macaquinho já cá canta

(Não, isto não vai virar um blogue de mamãs e bebés onde a cada cagada, venho escrever)

E agora já posso descrever resumidamente a minha vidinha, desde que o Pedro nasceu.

Passaram 4 dias, parecem-me 4 meses.
O Pedro é ternurento, cagão, chorão e calmo, consoante a parte do dia. Que é como quem diz, dormir de noite é mentira. A encomenda dizia expressamente que tinha de vir um que nos deixasse dormir. A esperança era a última a morrer. Mas basta um olhar dele arregalado, para nós, tipo anjinho (o sacaninha já a sabe toda...) e é impossível não ficarmos apaixonados. Não termos a certeza que vale o sacríficio.

Lamechices à parte, o puto come que nem um desenfreado. Sinto-me uma máquina de gerar leite. Também dorme bem (de dia...). Faz grandes cagadas e deixa o pai enojado. Dá uns guinchos que impõem respeito. É um ratinho lindo, cabeludo e narigudo.

Estamos a adaptar-nos a esta nova vida. Tentamos descansar quando ele nos deixa. Muitas vezes temos os tlms no silêncio e agora a palavra de ordem é SOSSEGO.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

E não, não estou preparada! (mas alguém está???)

Eu sei que sou a pessoa mais felizarda deste mundo. Sei que estou rodeada de pessoas que gostam de mim (modéstia muito à parte). Sei que tenho uma família 10 estrelas. Sei que se preocupam comigo, que fazem questão de o demonstrar, sempre que têm oportunidade. E sei que tem sido isso que me tem feito levantar quando estou lá em baixo. E não me esqueço, em tempo algum disso.

A um dia do Pedro nascer, estou mais ansiosa. Parece-me normal. Datas marcadas levam as pessoas a fazerem contagens decrescentes. A pensarem "ah e tal faltam n sei qts dias p a minha vida mudar", entre outras coisas.

O motivo deste post prende-se com isso mesmo. O meu telefone tem tocado que nem um desalmado. Os amigos ligam a perguntar se estou preparada. A desejar sorte. A perguntar onde é e a que horas e se podem visitar-me. Eu sei que isto é perfeitamente normal. Mas como eu sou tudo menos considerada normal, venho pedir que não levem a mal, não se ofendam, não pensem que não vos atendi o telefone por maldade (logo eu que sou uma verdadeira matraca!). Pensem antes que estou sossegadinha. Calminha q.b. E que pretendo continuar assim até à hora H. E que quanto mais me perguntam coisas, me falam do assunto, mais eu me sinto a sufocar. Porque o dia mais importante da minha vida está a chegar e eu quero interiorizar isso o mais possível. E estar zen. E estar pacífica. E gozar este "antes" com o batato o mais possível.

Mas não me quero sentir mal com vocês, ficar com peso de consciência, nada que se pareça. Só quero dizer que como o macaco gosta de banana eu gosto de vocês. Muito. E agradecer por todas as palavras, atenção, carinho e amizade. Vale milhões. Mesmo.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Eu mereço

Esta semana tive uma consulta no médico. Fui acompanhada do batato e da mãe batata. Tudo normal. Quando saímos, a mãe batata, que conhece as recepcionistas e o resto do mundo, despede-se, dá beijinhos e o tudo o mais... e no fim diz-me "filha, dá um beijinho à senhora".

Como se eu tivesse 2 anos.
Como se eu conhecesse a senhora de algum lado para lhe dar beijinhos.
Como se tivessemos regressado à infância.

Não está certo. Não está.
À conta disso passei por mal educada. Ainda dei uma desanda à mãe batata que se limitou a mudar de assunto e a fazer "fffff", como quem diz "n sei do que estás a falar".

Será que não entendem que o tempo passa? Oh senhores... (e o batato ria-se, claro!)

domingo, 15 de novembro de 2009

Sem lugar a comentários

Há 8 meses e meio, ou 38 semanas, como quiserem, tudo à nossa volta passou a ser diferente. Aquilo que muitos tentam desesperadamente e levam anos para conseguir, caiu-nos nas mãos como uma gota de chuva que nos visita de repente. Como uma pena macia que pousa na nossa roupa. Como uma dádiva ou uma benção que não esperávamos que fosse tão rápido. De um "vamos deixar-nos levar" a um "olha, já está", passaram apenas umas poucas semanas. A vida realmente tem muita graça (e às vezes é realmente fodida, mas não é esse o caso). Parte das pessoas são corajosas, lutadoras, ambiciosas, cheias de planos a longo prazo. Outra parte deixa andar e vai vivendo a vida a seu belo prazer. E por fim, há a parte dos maricas. Onde eu me incluo. Avessa a mudanças. Com medos apenas porque sim. Que sofre por antecipação. Quero acreditar que Deus me presenteou para que eu possa crescer, possa realizar um grande sonho, possa ser uma pessoa melhor, possa ser mais forte e corajosa. Possa realizar um projecto de vida, sem dele desistir. Em breve toda a nossa vida vai mudar. E não nego os meus receios. Que não penso nisso diariamente. Que não questiono as minhas capacidades. Que não me amedronto de quando em quando. Mas mesmo mesmo em breve, tudo vai ser uma roda viva. E eu tenho medo, muito medo, e ao mesmo tempo tenho uma enorme vontade de tocar, cheirar, segurar, embalar, e dar o meu melhor. Receio fracassar. Mas estou cheia de vontade de sentir o que aí vem. Sentir o amor incondicional. Sentir que esta viagem vale mais do que a pena. Sentir que sou capaz, porque não sou diferente de ninguém.

Pedro, este post é para ti. Que nos tens acompanhado nesta viagem. Que me tens pontapeado. Que tens dado alegrias ao teu pai, e ainda nem estás cá fora. Que és muito desejado. E vais ser muito acarinhado.

(lamechices à parte, esperamos que colabores dentro do possível, já que a nossa encomenda dizia "rapazinho calminho como o pai e nada rezingão como a mãe").

Cá te esperamos.

Dias

Passeios a pé pela Guerra Junqueiro, Av. de Roma, Praça de Londres, paragem pelo Frutalmeidas. Uma ida às Amoreiras. Andar, que diz que faz bem. Sentir o gostinho do Natal. Fazer a contagem decrescente. Porque vai ser um Natal especial. Abençoado. E pelo meio, comemos umas tostas mistas. E bebemos chá quentinho. E jantamos com duas amigas na Mercearia Vencedora. E conversamos noite fora. E sentimos a chuva a molhar-nos os pés. E deliciamo-nos com a pequena Maria e os seus sorrisos. E enroscamo-nos na manta. E respiramos fundo. A vida é só uma. Esta e mais nenhuma.

sábado, 14 de novembro de 2009

Importam-se de repetir?

O Vara vai continuar a receber como administrador do BCP?

(cada vez tenho mais vergonha de fazer parte deste país)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Isto é gozo

Já tinha visto isto há uma semana, pelo menos, no facebook. Já tinha gozado (porque é mesmo o que se pode fazer...). Hoje, ligo a Rádio Comercial e, tcharam! Lá estavam o Vasco, a Vanda e o Pedro em pleno gozo. É que estes funcionários da autarquia de Portimão trabalham das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30. Bebem café às 16h. Sofrem imenso, imagine-se. Onde é que já se viu? (isto é gozar com o pessoal que trabalha de sol a sol, com noites e fins de semana...).

Vejam com os vossos próprios olhos e ouçam a letra. Ah, e conheçam o novo Bruce cá do sítio. Que medo...

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Pequenos nadas

(Provavelmente, depois de lerem o que vou escrever, vocês vão perguntar-me em que mundo é que vivo e coisas parecidas).

Mas descobri hoje, para grande felicidade minha, que existe uma forma, via net, de pedirmos à Rádio Taxis para nos ligar para casa para chamarmos um táxi. Não têm ideia da alegria que isto me traz. É que o dinheiro que eu gastava cada vez que me punham em espera até haver uma viatura aqui perto para me apanhar, era surreal.

Eu não digo que a felicidade é feita de pequenas coisas?

(pronto, agora já podem insultar-me. Who cares?)

Constatações

Ontem, num consultório médico, um filho acompanhado do pai estão na recepção a fazer a ficha médica. Quem respondia era o miúdo. Nome, morada, bla bla. Quando chega a data de nascimento, parece que me deu um baque:

XX de XXXXXX de 2001, portanto já tenho 8 anos (orgulhoso que ele estava:)

(acho que só ali me apercebi realmente que o tempo passa a voar... ainda ontem estávamos nos anos 80... o méxico 86... e a expo 92, em sevilha. e a 98, em lisboa. cum caneco.)

(é que a frase que me saiu foi "ninguém nasce em 2001!! e dps lembrei-me que os meus sobrinhos são tudo de 2004 para cima... vai lá vai!)

(...)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Tá a aproveitar enquanto podemos

Vim agora do cinema. Fui ver isto. "New York I Love You".



Amanhã à noite vemos isto, na Comuna.
E no Domingo vamos até ao Casino.



A esta hora o batato está no Campo pequeno com um amigo a ver os Gun e os DAD. Medo... Não conhecem? Vejam lá se se lembram...



Nojo nojo nojo

Então o Armando Vara tirou uma Pós-Graduação em Gestão Empresarial, em 2004. E só depois disso, em 2005, é que se licenciou em Relações Internacionais (pela UNI, o que só por si deixa muitas dúvidas...). How cool is that?

Este senhor é o exemplo certeiro para a frase "cada tiro, cada melro".

Ainda me lembro quando queria, porque queria, tirar uma licença sem vencimento do cargo que ocupava na CGD (Administrador, coisa pouca...) para poder exercer funções de Vice-Presidente do Conselho de Administração do Banco Millennium bcp Investimento, S.A. É muita cara de pau, é o que vos digo! (aliás, eu na altura ponderei tirar uma licença de vencimento na agência onde me encontrava a trabalhar para poder ir para outra da concorrência... assim como assim, era moda. mas o meu bom senso falou mais alto!).

Cambada de chupistas e de mafiosos. O resto é conversa. Junte-se ao Engenheiro Sócrates. Bela parelha. Que nojo.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Momentos matinais

Acordo de manhã e dou conta que a empregada já está cá. Espreito para a sala e digo "bom dia, tudo bem?". Resposta normal e simpática "sim, e consigo?". "também obrigada", acompanhado de uma gargalhada. Intrigada, pergunta-me "porque se está a rir?". "Nada..."

Foda-se, uma gaja já não pode rir-se logo de manhã? Olha agora...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Baba e ranho para que vos quero!

Já não me lembrava de como era chorar baba e ranho a ver as minhas séries de eleição. Numa fase em que estou mais vulnerável e sensível e que tudo mexe comigo, imaginem lá o que vai para estes lados :)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Ora aí está!

Sempre que me encontrei desempregada nestes 31 anitos que levo por cá, tinha uma (entre outras que agora não são chamadas para o caso) queixa:

o facto de mais de metade serem ofertas descaradamente ordinárias para estágios miseráveis que pelo meio pediam a experiência de um sénior, eram ilegais e praticamente gozavam com as pessoas. Sempre me irritou esta merda. E por isso, aplaudo esta iniciativa!

domingo, 1 de novembro de 2009

Bem-vindo Gui!

O pequeno Gui nasceu. Os 9 meses da belinha passaram num ápice. E quando menos demos por ela, recebi um sms a dizer que estava a dar entrada no hospital. Já não dormi em condições. Só fazia figas para não custar muito. Para o Gui estar cá fora muito rapidinho, perfeitinho e nos braços da mãe. Não passou muito tempo até que o pai Gonçalo me ligasse a dizer "já está". Até que eu percebesse a emoção na voz dele. Até que eu agradecesse a Deus por tudo ter corrido bem. Mais uma amiga com um filhote cá fora. Mais umas noites sem dormir, daquelas que valem a pena :)

Dia 29 de Outubro nasceu o Gui e a família da Belinha ganhou mais um membro. E eu fiquei feliz como se fosse eu. De coração. Parabéns amigos :)