domingo, 28 de junho de 2009

Eu sei que parece incrível, mas estes dias de chuvinha estão a saber-me lindamente. Não está frio, corre um ar fresquinho saboroso e a chuva cai. É uma lufada de ar fresco. Eu sei que isto não é normal em mim. Mas há coisas que não se explicam :) (de qualquer das formas, sei que é sol de pouca dura, que para a semana já vão estar 29 graus).

Este fim de semana a lezita fez 32 anos. E lá fomos comemorar para a Taberna Ideal.

E deu para matar saudades de 2 (dos 3) sobrinhos. O bago e a "concha" estão lindos. Ela está enorme. Os bebés crescem a uma velocidade relâmpago. Ele está enorme. Reguila. Meiguinho. Tive tempo de os encher de beijos. De encher o coração :)

Tempo para café com a inesa, no à margem. Para matar saudades.

Hoje fui com o batato e a lezita ver "Os Monólogos da Vagina". Vale a pena :)

E por falar em batato, faz anos na sexta :) tenho que decidir rapidamente o que ofereço :) E a xon faz no sábado. E o pai batato faz anos no domingo :) Raça de caranguejos :)

Inté

quarta-feira, 24 de junho de 2009

A coscuvilhice faz muito bem à saúde

'A "coscuvilhice" faz bem à saúde. E ainda acusam os jornais de só dar notícias más. Esta é fantástica, e funciona como um bálsamo para todas as mulheres que gostam tanto de dar à língua à volta da mesa de café, ou não dispensam, por nada deste mundo, o telefonema diário com a irmã, em que passam em revista os principais acontecimentos do dia, tecem cumplicidades e, claro, cortam na casaca de quem estiver a «pedi-las».

Os autores desta revelação, que vai apagar a réstia de culpabilidade que continuava associada a estas conversas, são os cientistas da Universidade de Michigan. O estudo, divulgado pelo London Daily Mail, e que teve como cobaias 160 universitárias, declara que as conversas que reforçam a intimidade e estreitam as relações, são o melhor ansiolítico natural jamais inventado. Isto porque levam à produção de progesterona, uma hormona que reduz a angústia e o stress e tem o poder de deixar as mulheres mais felizes, com um sono melhor, ossos mais densos, para além de fisicamente muito mais saudáveis. Na prática, os cientistas dividiram estas raparigas em pares.

A umas era solicitado que fizessem uma à outra, perguntas pessoais, enquanto que se pedia aos outros que procedessem à revisão de um trabalho de botânica. Vinte minutos depois foram medidos os níveis de progresterona numas e noutras, para concluir que aquelas que se tinham entregue à «conversa fiada» tinham níveis mais elevados da hormona do bem-estar, enquanto que as pobres obrigadas a corrigir um texto académico tinham visto diminuir a presença deste químico no sangue. Se julga que estas conversas podem ser substituídas pela ingestão de umas pastilhas, engana-se. O equilíbrio perfeito só se consegue se nos envolvermos com os outros, ou se praticarmos gestos altruístas que nos aproxima dos outros.

Só essas ligações genuínas são todas-poderosas, quando se trata de encontrar o equilíbrio perfeito. Por isso não hesite. Pegue no telefone e marque já um almoço com as suas melhores amigas, ou faça uma pausa para ir cortar na casaca do chefe. Também resulta'. in DESTAK

segunda-feira, 22 de junho de 2009

29 graus! yeh!

Obrigada a todos os santinhos que atenderam as minhas "preces" para as temperaturas baixarem :)

(ainda assim, este fim de semana fui para a comporta, no Sábado, e para a Praia das Maçãs, maison sinho, piscinar, no domingo)

(bem bom :)))

sábado, 20 de junho de 2009

Calor q.b., cadé?

Há coisa de uma semana que ando oficialmente a destilar. Eu, que sou a fã número 1 da praia e do sol e do mar e do calor. Não gosto destas temperaturas estapafurdias. Não consigo respirar. O ar não passa. Não durmo bem. É ver-me com o spray da avène água termal, para refrescar. É ver-me a dizer "eu até vou à praia, mas nem pensar que vou as 11 da manhã, não aguento a hora de mais calor...". É ver-me a beber água a toda a hora e a desesperar por um ar condicionado (que dantes eu dizia fazer-me mal...). Ou eu já não sou a mesma ou então este calor não é de todo normal. Mantenho as persianas todas corridas, ao longo do dia, e durmo com tudo escancarado, para apanhar as raras brisas que possam eventualmente passar. Porque é que não podemos ter sempre, durante o dia, uns 26 graus, e à noite, o fresquinho de que necessitamos para dormir ferrados?

Não é justo, não é!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

British Airways pede a funcionários que abdiquem dos salários

"Uma das mais famosas companhias aéreas do Mundo, a British Airways, está a pedir aos trabalhadores que não recebam o próximo salário. É um pedido insólito: a petição foi lançada por correio electrónico e é uma tentativa de superar a má gestão financeira". in site da RTP

(ora vamos cá ver, se me pedissem isso eu perguntava de imediato quem me pagava a prestação da casa, as contas mensais, a gasolina e tudo o resto. Logo eu, que chego a meio do mês e já ando "aflita". Parece que o Presidente da Companhia foi solidário e também se dispôs a abdicar do salário dele. Pois claro. 73 mil contos. E abrir as portas de sua casa para lá irmos todos tomar banhinho? Hum? Parece-me boa ideia).

terça-feira, 16 de junho de 2009

SS

Ir à Segurança Social é a verdadeira saga. Sem tirar nem pôr. Chega-se, tira-se senha e constata-se que temos pela frente umas longas horas de fila. Dá para tudo. Ir ao café, à loja dos chineses, dar a volta ao quarteirão várias vezes... uma panóplia de coisas... é ter oportunidade de estar sentada entre uma família de comunidade cigana e uma de raça africana. Assim daqueles com um bando de filhos, que se esfregam no chão, e gritam, e rebolam, e a quem os pais pregam valente chapadas, e a gritaria depois se torna ainda maior. Um filme. Uma pessoa sai dali com a cabeça a latejar. É gente a mais. Confusão a mais. É sair com a sensação de que o nosso país é muito miserável. Muito poucochinho. É impressionante. Se não acreditam levantem esse rabo da cadeira e vão lá passar a tarde...

domingo, 14 de junho de 2009

Desabafo

Um pouco fora de tempo, preciso (porque sim) de fazer um comentário (ainda) sobre as eleições do passado dia 7. Consta que houve problemas com as pessoas que foram votar com o cartão do cidadão. Que não constavam da base de dados, porque os números não são os mesmos dos cartões de eleitores que tinham anteriormente. E dificuldades que tais. Foram perguntar ao Ex.mo Sr. Primeiro Ministro, essa vedeta de nome José Sócrates, se estava a par do que se estava a passar. A personagem respondeu feliz da vida e no alto da sua confiança "claro que estou a par. ainda há bocado me sucedeu o mesmo. mas é simples. basta pegarem no tlm e enviarem um sms para o número XXX com o vosso número de contribuinte e de seguida recebem logo a informação necessária para poderem votar".

Caro anormal/atrasado mental Primeiro Ministro de Portugal, toda a gente percebeu que estava tão à nora quanto o comum do mortal. E toda a gente percebeu que se apercebeu que havia problemas com os cartões do cidadão, apenas e somente, quando deu por si a votar e lhe aconteceu o mesmo. E toda a gente percebeu que lhe deve ter bastado um telefonema para um qualquer escravo seu para ficar a saber o que fazer.

Agora, escusa de dizer com a maior das naturalidades que é "fácil", que não tem problema nenhum. Porque o mínimo que deveriam ter feito era alertarem as pessoas, com a devida antecedência, e explicarem o que deviam fazer face a essa situação.

Nunca gostei de si, não votei em si, mas com isto ainda fiquei a gostar menos. SONSO!!!

Prioridades

A propósito do valor ordinário que o C. Ronaldo vai passar a receber por época, ocorre-me dizer que as prioridades estão todas trocadas. É vergonhoso. O próprio, que já passou dificuldades, devia meter a mão na consciência por cada vez que faz um gasto astronómico (e ridiculo).

A "estrela" vai receber por dia mais do que a maioria do mortal recebe por mês. Não dá que pensar? Porque raio é que um jogador de futebol tem de receber valores tão elevados, tendo em conta a crise que paira por todo o mundo? É que pode receber bem, mas não de forma ordinária. Devem julgar que são especiais de corrida. Que nojo!

Back

Estamos de volta. Uma semana depois, regressamos à capital, onde o ar não passa. As praias da Arrifana, Monte Clérigo e Amoreira receberam-nos de braços abertos. Com muitas ondas. Calor. Ventinho bom. Uns banhos também de piscina. Pequenos-almoços religiosamente tomados às 10h30. Uma ida a Sagres para comemorar o aniversário de uma amiga. Umas belas sestas. Bons jantares. Bom descanso. Bronze à maneira. Ainda tempo para um jantar na noite de santo antónio, já em lisboa, para comemorar o aniversário sinho (só isso me faz andar num metro apinhado de gente...). Passagem pela Praia das maçãs. Preguiça foi a palavra de ordem. Sofá. Revistas. Conversa. Amigos. Jantar. Cinema.

Agora, temos as janelas de casa todas abertas e o ar insiste em não passar. Parece que amanhã e terça as temperaturas vão descer 10 graus, para na quarta subirem aos 30. O mundo está virado do avesso. Já vivemos num país com clima tropical. E só apetece voltar ao micro clima fresquinha da praia das maçãs.

domingo, 7 de junho de 2009

(saudações directamente de vale da telha, junto à arrifana e a monte clérigo)

Ainda bem que fui votar.

See ya

Vou ali votar (tiraste-me horas de sono inês gil, lol), de seguida vou de férias e até pode chover a potes. Vou ler as revistas todas das bancas. Dormir. Passear na areia. Namorar. Ligar-me à net de vez em quando (sou assim, querem o quê?), dar nem que seja um mergulho de mar e outro de piscina, andar de carro só por andar, e não fazer nadinha que me obrigue a pensar.

É assim meus caros. É só para quem pode :)

Beijos e queijos (e antes disso tudo vou à segunda tosta mista que o batato está a preparar com afinco)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Vida pessoal e vida profissional? UMA SÓ!

Uma pessoa está de baixa de parto. Bebé com 2 meses. Reunião num cliente. A dita decide ir. O bebé vai atrás. O bebé chora. A personagem pede licença e desata a dar de mamar. Ali. Em plena reunião. De modos que é isto. E assim vai a vida. Catita.

 

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Pérolas que se ouvem por aí II

Rapariga na praia "ai o caraças, estou aqui há horas esparramada ao sol e continuo branquinha!"

(...)

Pérolas que se ouvem por aí I

Namorada para namorado: "deves julgar que algum dia vais arranjar uma queca melhor do que a minha".

(ah maluca!!)

Gosto

Há muito tempo que não passava dois dias de praia tão bons e até tão tarde. No Sábado recusámo-nos a ir para a fila da ponte 25 de Abril e para as praias da costa. Minha gente, não dá. É confusão a mais. Barulho. Pessoas aos berros. Toalhas com areia dos putos que passam a correr. Stresses na volta. Os pára e arranca. Não é para nós. Ponte Vasco da gama, Comporta aqui vamos nós. Mar convertido numa autêntica piscina. Calor. Água quentinha. Muitos banhos. Pessoas civilizadas. Relaxe total. No final do dia, ainda na Comporta, mimámo-nos com petiscos e conversa e risos e felicidade. Chegada a Lisboa às 21h30. Banho. Sofá. Brothers and Sisters. Adormecer de imediato.

No Domingo resolvemos ligar para o hotel da praia grande. “Sabe dizer-me como está o tempo? Está bom para praia? Está óptimo? Obrigada”. Ala que se faz tarde. Ic19 fora. Dia magnífico, que é coisa rara para aqueles lados. Vento, zero. Mar parado. Muitos banhos. Ficar na praia até às 19h30. Nem acreditávamos que a neblina não se tinha levantado. Que o ar não passava. Que às 18h ainda estávamos na água. São muitos anos de Praia Grande, de humidade e de frio. Foi um dia inédito. Que não se deve repetir tão cedo. Chegar a casa, encomendar umas pizzas e ficar ali a marinar na ideia de que a segunda-feira está a bater à porta.

 

No próximo fim de semana vamos de férias. Vamos no Domingo, lá está, para fugir aos “garganeiros” que se fazem à estrada na sexta e no sábado. Aljezur é o destino. E voltamos na sexta. E vamos para a Praia das Maçãs para um fim de semana de aniversário sinho. De piscina e amigos.