terça-feira, 14 de abril de 2009

Sistema Gertrude (afinal não estou louca!)

Trata-se de um sistema (designado "Gestion Electronique de Règulation en Temps Réel pour l'Urbanisme, les Déplacements et l'Environnement" - GERTRUDE) que, através dos dados fornecidos por dispositivos de detecção (mais de 1400), permite aferir os fluxos de tráfego e, em tempo real, reagir às situações através do comando semafórico.

Assim, pode-se intervir segundo a segundo para impedir bloqueamentos de trânsito nos cruzamentos e regular as acções dos semáforos em função das vias excedentárias e das vias deficitárias em tráfego, gerindo os tempos de verde em cada cruzamento, por forma a facilitar o escoamento do tráfego e adaptando o sistema às suas permanentes flutuações.

A Central de Controlo de Tráfego da Câmara Municipal de Lisboa, onde está localizado o "cérebro" do sistema GERTRUDE, na Avenida Alexandre Herculano, dispõe da sofisticada tecnologia e dos meios humanos que permitem recolher e analisar em tempo real as informações enviados pelos sensores de tráfego instalados sob os pavimentos e intervir de imediato quando a situação o exige. É uma verdadeira central de comando, com os seus mapas sinópticos, quadros electrónicos de balanços, ecrãs gráficos e de visualização vídeo de diversos artérias e cruzamentos da cidade e quadros estatísticos”.

In AUTOHOJE

 

 

“O ‘Gertrude’ é um sistema de controlo centralizado de gestão do trânsito, implantado na cidade de Lisboa há cerca de vinte anos.
Basicamente, é um software que gere o sistema de semáforos do centro da cidade e gere os fluxos automóveis, através de sensores implantados no pavimento e ligados a uma estação central de controlo viário. Foi concebido por uma empresa de Bordéus e tem sido gerido em parceria pelo departamento de tráfego da CML e pela Eisa-Tesis, uma firma portuguesa que detém o monopólio da semaforização de Lisboa (por sinal, a mesma que implantou o sistema de radares fixos da cidade).
O sistema tem sido criticado por contribuir para o estado geral de caos do trânsito da cidade. E para o ambiente de insegurança rodoviária que resulta de uma circulação automóvel feita em velocidade excessiva”. In UMBLOGUEQUALQUERQUEENCONTREIEQUEEXPLICAMUITOBEMOQUEÉOGESRTRUDE!

1 comentário:

JOÃO disse...

tb ouvi isso hj de manha na tv... ja sabes o q é o Emília? :D