quarta-feira, 29 de abril de 2009

Noites loucas

 

Mais de um ano após as sessões sexuais dos meus vizinhos, eis que esta madrugada resolveram prendar-me com mais uma noite louca. Três da matina. Eu na paz do senhor, a dormir ferrada. Gritos, gemidos, ganidos (??). Rebolar na cama e achar que se trata de sonho/pesadelo. Não aguentar mais e perguntar ao batato “estás a ouvir o mesmo do que eu?”. Confirmou-se. Sexo louco na casa dos vizinhos. A mulher parecia que estava a morrer. Confirma-se que é a mesma. Dele não se ouviu nem um pio, não posso confirmar. O desespero atingiu-me. Toca de bater na parede. De gritar para se calarem. Em vão. E voltei a adormecer. Não sem pelo meio sonhar com o meu avô Fernando que terá aparecido para se despedir de nós, com presentes para todos os netos. Comigo a chorar feita madalena. Com o batato, na vida real, a dizer que eu chorei baixinho durante uns 15 minutos. Avô, onde quer que estejas, espero que estejas bem.

 

 

Sem comentários: