domingo, 1 de março de 2009

Tudo, mas mesmo tudo

Ontem a batata almoçou com os manos, mãe, cunhadas e sobrinhos. Em tempos conturbados, os sobrinhos conseguem sempre aquecer-nos a alma. Um abraço. Um sorriso. São mais do que suficientes para se ganhar alguma força. O cucabaguito está cada vez mais reguila, mas continua meiguinho e sociável, no alto dos seus 4 anos. A MC já sorri. É fofinha que só ela. E o meu coração foi conquistado no primeiro dia em que a vi, minúscula e de olhinho aberto. A C. está cá fora num mês, e está tudo ansioso por ver as suas mãozinhas e olhinhos. Confesso que gostava de um dia ser corajosa para ter um. Para conseguir gerar um pequeno bebé batato. Porque dizem que isso sim é o amor incondicional. E dizem que a vida deixa de ser vista com tantos problemas. E que o nosso bebé passa a ser o centro da nossa vida. Provavelmente não estou preparada, ainda. Provavelmente, ando numa fase mais negativa. Mas vou-me aquecendo com o cuca e com a MC e com a C que está a chegar. E espero estar sempre perto deles, acompanhar o seu crescimento e conseguir ensinar-lhes qualquer coisa de que eles se lembrem um dia mais tarde.

(e na sexta a batata também foi ao aniversário jojo, com as amigas católicas. e ontem a batata também lanchou com a sua amiga Xon. E jantou com as amigas leonarda inês e calipa, e o bom disto tudo, no meio da nuvem negra que anda por aí, é que temos amigos e família para cuidarem de nós)
(e depois de tanta coisa que já se passou - basta ler o blog de fio a pavio - há a certeza de que tudo, mas mesmo tudo, passa nesta vida)

1 comentário:

Inesa disse...

Ah pois passa!
Daqui as uns tempos estás pronta para outra...