sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Nojo

Com que legitimidade é que alguém num dia chama um departamento no sentido de dizer que quer que as pessoas cheguem às 9 da manhã certas, que se 4 pessoas se atrasam 15 minutos que isso significa uma perda de 1 hora de trabalho e que não pode ser, e depois pede para alguém desmarcar uma consulta que está agendada para as 18h30, fora do horário laboral?

alguém, me explica?

E gostava de saber porque é que a mesma pessoa não nos chama para dizer que não nos quer cá depois das 18h. Muito menos a fazer noitadas, algo habitual por estas bandas, ou a vir aos sábados, outra coisa também considerada normal por aqui. Porque será que estas merdas só são consideradas para o horário de entrada?

Fico maluca!

7 comentários:

caxuxa disse...

Tens mesmo de sair dai, agora ja te compreendo...

Alf disse...

É malta que tem relógios só com 12 horas/dia... Não ligues.

CAL disse...

Uma amiga com um horário parecido com o seu actualmente viu-o normalizado. Sabe como? A inspecção geral do trabalho passou por lá, verificando, inclusivamente, a questão dos recibos verdes (n.º de meses/anos). Neste momento, a "legalidade" foi reposta, sendo que esta minha amiga até tem dificuldade em saber o que fazer... passou a sair o mais tardar às 19h...

charlotte26 disse...

Realmente essas coisas não fazem mesmo sentido nenhum. É pura estupidez...
Enfim, sem comentários...

Anónimo disse...

q teal em vez de te queixares aqui na net, dizeres isso de forma diplomatica a quem te chamou a atencao? as vezes expor as nossa ideia nesse aspecto n quer dizer q nos mandem para a rua... apenas pode fazer com que compreendam que se saimos um dia depois da hora (sem que nos paguem para isso) n vejo qual o problema em no dia seguinte chegar um pco depois da hora... mas se n falares directamente com quem manda, tb n sao eles que vao autorizar isso...

Rita disse...

anonimo, anonimo, "o horario d entrada nda tem a ver c o horario de saida"... é este o argumento. ou achas q ando a dormir??? duhhh

Samantha disse...

Hummm.. eu cá apostava na sugestão da Inspecção Geral de Trabalho. Na verdade, todos andamos a contribuir para que eles fiscalizem estas situações. É garantir que o fazem... (podes dar-me o nome da tua empresa, en privée, se quiseres uma coincidencia - leia-se denuncia - anónima! )
:)
Boa sorte!