segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Há 10 anos, daqui a 10 anos

Quando era pequena queria crescer rápido. Queria ser como os meus pais, adulta, independente, com liberdade para fazer tudo. Há 10 anos atrás dizia que dali a 10 anos estaria casada e com filhos e com o trabalho da minha vida. Hoje, queria voltar há 10 anos atrás. Ou voltar aos tempos em que era pequenina e as minhas responsabilidades e preocupações eram nulas. Ninguém disse que ser crescido era fácil. E no fundo o que me apetecia mesmo era voltar aos tempos em que andava ao colo. Em que era acordada depois de um pesadelo e constatava que ao meu lado estava o meu pai já pronto para me dizer que não era nada, que tinha sido um sonho mau. Em que me deixavam a luz de presença acesa por causa dos medos dos monstros. Em que no Natal a felicidade e a excitação eram gerais entre mim e os meus irmãos. Em que chegávamos a casa dos avós e havia um monte de presentes para cada um. E em que o Natal fazia tanto sentido, por sermos pequeninos. E por tudo ser perfeito. Mesmo quando não era. Hoje tudo parece mais cinzento. Mais imperfeito. A casa dos avós está mais vazia. Já chego à campainha de casa deles, sem ter de me empoleirar. Já não fico sem dormir com a ansiedade de abrir os presentes. O mundo já não é cor-de-rosa. E as pessoas chateiam-se por coisas insignificantes. E o tempo não pára. E daqui a 10 anos o que espero? Estar casada? Com filhos?

Não, já não caio nessa...

13 comentários:

Matvey disse...

Não podia estar mais de acordo, no fundamental.

Eu próprio, aqui há tempos, debrucei-me sobre o mesmo assunto...


http://marchadospinguins.blogspot.com/2007/08/desode-aos-dias-presentes.html

Neni disse...

Embora seja leitora regular, nunca comentei...mas hoje tocou-me!
É verdade que tudo parece mais cinzento e é verdade que o Natal não tem o mesmo sentido, e custa ver que a nossa percepção mudou, mas tudo faz parte, não é?...
Um grande beijinho*

Maria disse...

E lembras te dos mealheiros do avô? Que ìamos lá todos os fds por 50 escudos no mealheiro? Lindo! E o parque dos índios? Lembras-te?

chocolanja disse...

Arrepiei-me... Ultimamente tenho-me debatido muito sobre esse tema... O que acho grave � que continuo acreditar que tudo o que sonhei vai acontecer.. estou em processo de nega�o:(

SRC disse...

E tu ainda tens a sorte de ter irmãos e de encher a casa com familiares...
Eu adoro o natal, mas quando era pequena tinha a casa cheia com avós, pais, tios, padrinhos... e nos ultimos 10 anos passamos a ser so 3 "gatas pingadas" :(
Este vai ser o 1º natal que passo com a minha familia (so me resta mae e avó) e com a familia do meu marido (que tambem é só pai e mae), mas ja somos 6! Aliás, 7, porque tenho uma formiga na barriga que mesmo sem ter nascido já é o centro das atençoes :)
Daqui a 10 anos espero que continuemos os 7 juntos! ou mais!!! :)

bunny disse...

gostei..
concordo..p mim antes tinha tudo tanto sabor, tanta magia.... agora nao...ser adulto custa, ter responsabilidades custa...... eu acho k perdi os pekenos prazeres do dia dia...

Kitty Fane disse...

Concordo com tudo o que disseste. Sinto exactamente o mesmo. E não, tb já não caio nessa... :-D

Maffa disse...

Ritolas, que lindo texto! é a nostalgia que te faz escrever assim?
Mas agora tens o teu sobrinho para mostrar que o Natal é lindo e ver a sua alegria inocente :)
E quanto às expectativas no futuro... É sempre um erro ter... Também nao caio nessa de fazer planos a longo prazo! A vida trata de os estragar quase sempre...
E com menos esperanças, mas com mais sabedoria - podemos viver a vida sem tantas desilusoes... Felizes com as surpresas do dia a dia.
Beijinhos!!

CAL disse...

Se, porventura, a quantidade de pessoas que pensam/sentem o mesmo constituir algum tipo de conforto… sinta-se no mais relaxante sofá… :P (Conheço uma… deixe ver… meia dúzia a resvalar para a dúzia?!)

Este seu post fez-me desconfiar da real privacidade das linhas telefónicas… tive uma conversa, tirada a papel químico deste post, com uma amiga que completou, este fim-de-semana, 29 anos.

Nenhuma das duas, eu e a minha amiga pré-trintinha (não sei quem é o autor do “belo” termo), sabe onde e como estará daqui a 10 anos… Sabemos que nos temos uma à outra há esse tempo (de resto, a relação mais longa e estável, família fora, que qualquer uma das duas mantêm!) e que, muito provavelmente, continuaremos a estar próximas daqui a 10 anos. E se é verdade que esta relação não substitui qualquer das “coisas” que refere no seu post, também o é que torna a ausência das ditas mais suportável (e sei que sabe do que falo).

Mas, bem vistas as coisas... Que tal pedirmos todos o livrinho amarelo ao Criador? :P
Beijinho.

caçula disse...

ja percebi k tou na idade... certa.. LoOol

apesar das pekenas koisas... :S

amo.te mana

Joao Manuel disse...

Pequena vê lá se acordas ... Há 10 anos já tinhas 19 (dezanove) anos, já não te empoleiravas para tocar as campainhas nem tinhas os sonhos descritos, já eras adulta já ias para a tropa ... já não esperavas os brinquedos que já não recebias ... acorda, estavas a aproximar-te do novo século que viria radioso e deslumbrante com os Bush deste mundo a mandarem parte da humanidade para o(s) outro(s) mundo(s) ...

Inesa disse...

Daqui a 10 anos de certeza que vou ter... quase 40!

Psyhawk disse...

Infelzimente o tempo é matreiro, e não gosta de recuar nem um segundo