quinta-feira, 4 de outubro de 2007

1 ano

Hoje fez um ano que o meu avô morreu. Tal como no Domingo fez um ano que o mano gémeo casou. E em que eu voltei para casa da mami para lhe emprestar a minha casa. E todos os anos faz anos de qualquer coisa. Relativizando a coisa, é como todos os dias ser o dia mundial de qualquer coisa. Só para dizer que há determinadas coisas de que falamos sem qualquer problema. E depois há outras de que nos custa falar. Porque custa. Ponto final. Uma colega minha, a meio do dia, diz-me "hoje faz anos que o teu avô morreu" (porque o sogro morreu no mesmo dia). Como quem diz "olha, estou cheia de sede" ou "xii, como chove lá fora!". Fingi que não me tocou. Assentei com a cabeça e por ali me fiquei. Ao final do dia liga-me o meu pai "liga à tua avó. Hoje faz um ano". Eu sei que faz um ano. Eu sei que vou ligar à minha avó. E também sei que ela vai chorar, como no dia em que perdeu o marido. E que me vai dizer que ele era espectacular e um bom homem. E que foram 63 anos maravilhosos. E que queria ter ido com ele. E também sei que às vezes é muito mais fácil não ter de ouvir estas coisas. Fazer-me de parva. Deixar passar o dia e saber que me lembrei. Que isso me basta.

Avô, se estivesses cá ias estar babadissimo. Nasceu a tua terceira bisneta. A Caetana. Se estivesses cá dirias logo "é a xª da família" (ele contava-nos como se fossemos pequenas pérolas, sabia de cor o "número" de cada um). Andarias de máquina em punho feliz e contente a fotografar a bebé sob todos os prismas. E dirias à avó "oh mulher, não chores, eu estou aqui!".

Mas não estás. E ela chora diariamente. E isso custa-me. E a vida é assim.

(nunca me vou esquecer do dia em que fizeste 81 anos e andavas feliz da vida a dizer que tinhas atingido a maioridade ao contrário)
(e sim, eras meiguinho, nosso amigo e o verdadeiro contador de histórias)

8 comentários:

Sahara disse...

És capaz de parar com estas coisas.
Só assim para eu não fazer figuras tristes todas as manhãs quando venho aqui ao blog?! É que o pessoal anda a pensar que eu estou grávida, com tanta choradeira.
Muchas gracias, sim.

Patrícia disse...

Até me vieram as lágrimas aos olhos com este post...

Anónimo disse...

Senti orgulho do teu avô e desejei que o meu pilas fosse também a xª perola dele...
Fizeste-me recordar do meu avô e chorei baixinho... senti falta dele neste momento importante da minha vida e em homenagem ao meu avô, o meu pilas será João.
Porque há pessoas que nos fazem sempre falta e por muito que queiramos deixar passar o dia... esses dias existem!
Um beijinho meu e do nosso Joãozinho de 6 cm,
a mamã Li.

Minie disse...

Antes de mais quero felicitar-te pelo teu blogue, escreves muito bem e coisas de muito interesse quer do ponto de vista cultural, quer do ponto de vsita pessoal, não tens receio de expressar os teus sentimentos e estes últimos posts de reflexão sobre pessoas que te eram muito queridas e que já não estão entre nós estão muito bem escritos e dão muito que pensar.

Obrigado por escreveres assim...

Também eu perdi um avô e também perdi um amigo, mortes que me marcaram muito, ainda não tive coragem de escrever sobre isso mas revi-me nos teus posts....

Continua,

Bjs

Little Jordan disse...

"o que levamos da vida são as recordações.. o resto são trapos e cacos". foi uma pessoa muito especial para mim (que também já não está entre nós) que me deu esta lição. ninguém nos rouba as lembranças... são nossas para sempre... tão bom! Beijinho grande para a batatinha

caçula disse...

olha o k tu fizest a mim... olha olha! no meio da aula... ve beeem!!...:(

Ontem fez um ano que o meu avo morreu...
Doí sentir a falta dele, doí ir a casa dos avós e saber que ele não está lá...
O coração está vazio e a mente não para de relembrar os bons momentos mas, o peito doí quando o pensamento e mais superfícial e passa aquela imagem pelos olhos, ligado a máquinas na cama do hospital com a avó e a tia a chorarem ao seu lado, quando relembro o que o meu pai sofreu e o que eme me disse... as palavras não saiem da minha memória "eu pensava que estava preparado, mas não estou!"

Nunca se está preparado para enfrentar a morte, nossa ou de uma pessoa que nos e querida...
Revejo todos os momentos desse dia e o luto nunca desaparece.
Aquele que era e será sempre visto como o fotografo está agora a ver-nos lá em cima.
As lágrimas são inevitáveis e os olhos vermelhos a denuncia do que está cá dentro, do que sinto , do que relembro...
Mas o mais importante é o pensamento que se enche de boas memórias minuto a minuto.
Hoje não estou para ninguem, hoje é o coração que decide, hoje é só ele que vejo, é só ele que sinto...
Devia ligar à avó para lhe dizer que lamento o que aconteceu, mas acho que isso ia dificultar as coisas, acho que ela não percisa que lhe relembrem o que ela se lembra melhor que todos nós...
Todos os dias ela chora pela morte dele...
Todos os dias ela sorri pelos 63 anos que passaram juntos... 63 anos!
Diz que devia ir ter com ele, mas eu não aguentava mais uma ida.
Nunca pensei que fosse tão difícil eu tambem já estava "preparada" pois esta era uma doença terminal, anos e anos a morrer lentamente...
Mas ele lutou... lutou até ao final, ele aguentou até que um dos seus netos casasse, era um desejo dele... mas um dia depois despediu-se e desistiu :(
Tinha a plena consciencia do que estava a passar, sabia que mais tarde ou mais cedo tudo iria acabar, mas ele esperou para ver um dos seus grandes desejos se concretizarem.
Um heroi, um lutador, um fotografo, um chefe de familia, um compreendedor, um avô espetacular, um marido fenomenal,... perdi isto tudo de uma só vez, com uma só doença.
Já não tenho as histórias, as aventuras, o carinho e o amor dele...
Já não tenho nada para além de recordações e memórias! Ah! E os postais que ele mandava sempre que ia viajar...
Sempre foi um homem de tradições... :)
Isto tudo para dizer que te amei, amo e sempre amarei e para te dizer que nunca me vou esquecer de ti pela pessoa que tu eras e pela falta que me fazes...
Como diz o pai... uma parte de mim está no céu a ver-me todos os dias.. sei que sim... <3

ves? ... amo.te mto!

Jordan disse...

Criatura Batatola da minha vida!!
Só hoje é que consegui vir aos blogs e só hoje é que estou a ler isto (está bonito... estou para aqui pejada de lágrimas em pleno escritório...).

Fica um beijinho do tamanho do mundo e o abracinho mais apertado que conseguires imaginar!!

BJUUUUUU!

Anónimo disse...

Linda, há muito que não vinha ver o teu blog...
Este teu post é do fundo da alma. Estou com as lagrimas no olhos... infelizmente, compreendo muito bem a tua tristeza, mas temos que ser VALENTES!
Uma beijoca,
Pat