quarta-feira, 21 de março de 2007

Gajas

Ontem reuni-me, mais uma vez, com as amigas do liceu, num jantar em casa da amiguinha. Enquanto os homens jogam futebol ou bebem uma jola, numa de confraternização, nós mulheres somos muitoooo piores.

Assuntos da noite:

- Irmãos não se escolhem, namorados têm de ser escolhidos a dedo. Isto a propósito dos stresses de viver em união de facto. Das saudades em que morávamos com os irmãos, em que a Joana G. um dia, ao secar o cabelo de manhã, junto ao quarto da irmã Rita, foi surpreendida com um estaladão pelo barulho que estava a fazer; ou quando a amiguinha ficava irritada com o mano André, porque quando o shampoo estava no fim, ela deixava o frasco delicadamente virado para baixo e o mano quando usava, pimbas, deixava aquilo de pé e a miúda tinha de andar a dar palmadas no frasco para sair alguma coisa...; ou quando a Joana F. tomava banho de manhã e a mana Susana abria a torneira do lavatório e era a berraria total porque o banho ficava subitamente frio; ou as guerras que os meus irmãos tinham, quando o mais velho usava as roupas do mais novo, ou quando um ficava a estudar até mais tarde e o outro queria dormir, era a gritaria do "apaga a luz!" (e eu no meu quarto descansada, ahhaha). Tudo isto para dizer que as desavenças quando vivemos com namorados podem muito bem ser evitadas, se os escolhermos a dedo!! Mas com os irmãos, não há nada a fazer... E QUE SAUDADES!!!!!!

- O jogo do anel para ver quantos filhos vamos ter. Eu "dei" filhos a todas mas cá a mim só a amiguinha me conseguiu "dar" uma filha (que NÃO SE VAI CHAMAR PIETRA, COMO TU GOSTARIAS!!!!!!!). A risada!!! A Susi que mexia a agulha de propósito para que a Joana F. tivesse filhos, "porque eu quero ser tia!!". A parvoice instalada!

- A cena típica de todas as mulheres, quando estão de birra com os namorados. Eles perguntam "- O que tens, estás chateada?" e nós respondemos sempre, com a maior tromba do mundo
"- Eu? Nada...", sempre à espera que eles adivinhem. E depois se eles pensam que está tudo bem, nós ficamos furiosas. Queriamos mesmo é que eles insistissem connosco e andassem à nossa volta!

- O jogo da agulha e do copo de água, para ver com que idade vamos casar. Fiz à Joana G. e ela já contava 88 anos. (esqueceram-se que só conta quando a agulha bate no copo, ahahah! E depois o imaginar-nos no casamento já caquéticas e a lutar pelo bouquet! Que maravilha!)

(somos complicadas, ou quê?) (Somos parvas ou quÊ?) (Somos amigas ou quê?)

7 comentários:

Anónimo disse...

olá rita!

Olha como é que é esse jogo da agulha e do copo de água? nunca ouvi falar, fiquei curiosa. :P

Beijinhos

Ana disse...

Xiii..quando as mulheres se juntam é do pior! Eu que o diga! Não escapa ninguem (no bom sentido, claro!)!!!

Mas o melhor é conseguirmos dar umas boas gargalhadas com coisas que em tempos nos tiraram do sério!

Beijocas,

Anokas

cochiuato disse...

Eu descobri que não nasci no dia em que os meus pais dizem que nasci, com o jogo do copo de água e a aliança.

Belita disse...

Eu identifico-me principalmente com a parte da briga de irmãos e todos os motivos pelos quais referiste que se pode brigar... usar roupa da mana mais velha, abrir a torneira quando a outra está a tomar banho e a minha preferida e este é nova, não está no teu post: Calçar as botas de salto alto logo a seguir a vestir, de manhã, mas não sair de imediato de casa... com isso é que a minha irmã ficava possessa...LOL

Rita disse...

anonima, envia-me um mail para ritatvalente@gmail.com gracias.

roque disse...

Resumindo, ainda bem que não apareci... :P

roque disse...

Resumindo, ainda bem que não apareci... :P