quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Véspera de feriado (corrigido de "Sexta-feira à noite")

Saída do trabalho a correr, apanhei com uma hora de fila de trânsito. Isso mesmo que leram. Eram 19h50 e pensei para mim que estava mais do que a tempo para o concerto, já que só tinha combinado às 21h com a Susi, em Sete Rios. Está bem abelha... Cheguei ao ponto de encontro 10 minutos antes, sem conseguir ir a casa mudar de roupa e sapatos... resultado: concerto de GNR de camisinha, botinha de salto (nada a que não esteja habituada, porque ultimamente vou para a praia de saltos altos, o que muito gozo dá aos meus amigos - alguém tem de ser alvo de chacota:P). Enfim, encontro-me com a Susi, deixo o carro em frente ao Zoo e metro connosco. Chegamos ainda a tempo de ir ao café, ao lado do Coliseu, para comer qualquer coisa. Já dentro do recinto, a tarefa foi arranjar um sítio para nos sentarmos, já que a própria da minha amiga também não conseguiu ir a casa, e vinha com a fatiota do trabalho.

O concerto, propriamente dito, foi muito bom. O Rui Reininho está a modos que "gasto". É um facto. Mas não há ninguém por quem os anos não passem. E recordar hits como o "Dunas", "Sub 16" ou até mesmo "Ana Lee" deu-me um gozo descomunal! Para não falar do giraço do Jorge Romão, baixista, que pulou do principio ao fim, envergando uns belos calções de banho e descalço que só ele. Pelo meio recebo sms's de amigas a dizer que estão no Bairro Alto. Dilema: ir para o Bairro de saltos altos? Terei pachorra para a calçada portuguesa? De facto, saímos do concerto e achei por bem não rumar para aqueles lados. Ligo ao mano, que estava com os nossos amigos a beber jolas, e combino de imediato irem buscar-me a Sete Rios. Apanho o metro de volta. Eles estão à minha espera. Impasse do leva-se carro ou vai-se de táxi, jurei que trazia o carro do bananas de volta para casa e seguimos rumo ao bar onde trabalha o amigo escovinha. Alcantara it is. Entre amigos estivemos. Sentados que foi uma maravilha. Ouvir o casal rui e rita a relatar a lua de mel. Os disparates do bananas. Tempo para fotos. (como eles diziam "ja estavamos a estranhar ainda n teres sacado da maquina") E ala que se faz tarde que o bar vai fechar. 3h30 da manhã. Pedir as chaves ao bananas. Rumar ao parque onde deixámos o carro. E vir para casa.

Estou morta. Estou feliz.

2 comentários:

Ana disse...

E é isso que importa...chegar a casa de rastos, mas com aquela sensação de que a noite valeu a pena!

Beijocas

sinhó disse...

E responder às amigas, ó fona?;)