quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Para o pai do Paulinho

(...)Eu gostaria de fazer uma coisa mais pessoal, mas não sabia bem como e onde. Por outro lado, pensei que ele merece uma coisa em grande, mais tchan e foi aí que me lembreido teu blog, que tanto aprecio e companhia me faz. Quero prestar-lhe uma homenagem mais pública, entendes? Caso aceites esta "intromissão", em anexo, envio-te umas palavras sinceras, não um poema, que me vieram à cabeça antes da última despedida para com o meu pai, as quais li naquele momento. Palavras que no fundo definem tanto mas tão pouco, pois há coisas difíceis de expressar, mas que só provam o quanto amamos alguém que por vezes pensávamos não amar tanto e de forma tão pura e desinteressada. Sobram agora tão somente amor eterno, saudade e recordações. Pois o que gostaria que fizesses era que publicasses o referido anexo no dia 2, no teu blog. Bem sei que tu és a única autora do mesmo e que isto iria abrir precedentes e abrir excepções à regra, mas... pensa nisso com carinho.

O texto do Paulinho em memória do pai (Fernando), que faria anos HOJE, 62 Primaveras...

ATÉ BREVE...

Já dizia e cantarolava alguém – que o meu papi tanto apreciava – que “as coisas vulgares que há na vida não deixam saudade”.

E ele era tudo menos vulgar…
E os louvores não eclodem só porque, agora, lamentavelmente, partiu.
Mas sim porque era:
Um bom marido,
Um bom pai,
Um bom filho,
Um bom amigo,
E… enfim, um bonito ser humano!

E, por isso, saudade,
Essa palavra que só existe no léxico de Camões,
Ganha hoje, e para toda a eternidade, tanto sentido.

As palavras que ficaram por dizer,
As acções por fazer,
Os momentos por compartilhar,
Esfumam-se agora em vão.
E por quê?
É que Amor tudo crê, tudo suporta, tudo vence!

De facto, mais do que nunca, esta é uma realidade,
A minha, a nossa realidade…

As lembranças doem,
Mas também fazem sorrir:
E ele era o rei da risota!

PAI…
Há gente que fica na história, na história da gente…
Para sempre!!!

Amo-te hoje e eternamente...


Em 13 de Novembro de 2006 (Nacido a: 02-12-1944 / Falecido a: 12-11-2006)

3 comentários:

• Jorge • disse...

Descansa em Paz Fernando.

Paulo dos Santos e Silva disse...

Jorge: Não te conheço, mas agradeço muito o teu post. Ah! Sou o filho do Fernando e autor das palavras que a minha querida miguita Rituxa (Rita+Bruxa) amavelmente publicou no blog dela. Quem sabe, quando tiver o meu próprio blog - que espero que seja para breve - nos encontremos todos nos regabofeiros meetings que vocês, acérrimos seres virtuais, organizam. Deve ser giro. Uma vez mais, obrigadão! Carpe Diem!!! :o)

Rita disse...

jorge e paulo, cheira-me q iam gostar d s conhecer. vcs sao os 2 mt divertidos e sp c a piada pronta ; )