quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Sem abrigo

Ontem foi a noite com os sem abrigo. Às 20 h cheguei ao ponto de encontro, a sede da Comunidade Vida e Paz, em Alvalade. Conversar um pouco com o actual presidente, João Abrunhosa. Tudo a postos para a ronda pela cidade de Lisboa. Frio, chuva e vento. A noção de que não ia ser fácil. Os voluntarios sabem exactamente os locais onde eles estão. Paragem em locais inóspitos e escuros. Conversar com eles. Mostrar interesse e preocupação. O objectivo não é só dar comida. Mais do que isso, ouvir, fazer rir, fazer companhia, conversar. Muitos dormem em colchões molhados, mantas molhadas, pela chuva. O panorama não é favorável. Ninguém esperava que fosse. Mas o contacto com a realidade é qualquer coisa. De chocante, de triste, de nos fazer sentir muito pequenos, impotentes e percebermos que pode acontecer a qualquer um. Mais que drogas e alcool, desgostos amorosos e coisas que tais, atiram as pessoas para as ruas. Para becos sem saída. Os voluntários são os tipicos cómicos de serviço. Sempre de sorriso na cara, piada pronta a sair, há que levantar a moral. Para tristes, estão ali eles. De louvar o espirito com que vão para ali. Confesso que me senti muito pequena, muito frágil, em contacto com aquela realidade. E com a chuva, o vento, o frio, ainda se percebe mais as dificuldades por que eles passam. A maioria não fala para jornalistas. Nao gosta de câmeras. Alguns desabafam connosco. Culpam a sociedade. São rejeitados pelas famílias. Trabalharam 30 anos para hoje estarem na situaçãõ em que estão. Foi uma noite marcante. Chocante. Fiquei amiga de um deles. Hoje vou lá levar-lhe agasalhos e comida quente. Se quiserem ajudar visitem o site da Comunidade vida e paz (c pesquisa no google chegam lá num tirinho) e vejam como o podem fazer. Não custa nada. E ganha-se outro alento.

7 comentários:

Lipa disse...

Só de ler o que escreves-te deu um arrepio, se fosse eu a ir acho que ficava afectada psicologicamente...ficava mesmo!
Força e boa reportagem...
Quanto a mim, vou ver o que posso fazer para ajudar...

Beijinhos

ines disse...

O que eu adorei foi teres prometido um casaco quentinho a um e a história da camisa de mulher que deram ao sr. :)

ines disse...

O que eu adorei foi teres prometido um casaco quentinho a um e a história da camisa de mulher que deram ao sr. :)

iksvodaled disse...

não é fácil.. é duro, muito duro.. conheço voluntários que foram obrigados a desistir pq simplesmente não aguentaram.
Quanto a ajudar.. sempre que me perguntam se quero participar em iniciativas comunitárias/humanitárias e afins, costumo dizer "Já fiz a minha quota parte. Até já fiz bem mais do que isso. Agora façam vocês q vossa." ;-)

Jordan disse...

Especialmente qd chove, lembro-me imenso dessas pessoas :S
Que arrepio. Que vidas :(

Ana disse...

É triste, sem dúvida...uma realidade que nos faz tremer por dentro e pensar que não somos nada..

Anónimo disse...

Amiga, que coincidência engraçada! há alguns anos tambem colaborei com a Comunidade Vida e Paz! Este trabalho de voluntário fazia bem a muita gente! Oh se fazia!
bjs e fica bem, Pat