segunda-feira, 7 de agosto de 2006

Incompreendida

Ontem à noite, invadidos pela brisa de verão, resolvemos fugir para o meninos do rio. Deitar nas espreguiçadeiras que estão quase dentro de água (falta o quase...) e esquecer o mundo. Conversa jogada fora, como gostam de dizer os brasileiros, ali estivemos entretidos.

Lisboa à noite consegue ser, de facto, linda de morrer. Não é dificil apaixonarmo-nos (fala a menina das paixões faceis ; ) E ao contemplar os cacilheiros e outros barcos a fazerem a travessia do Tejo resolvi partilhar com quem estava comigo um desejo. Um devaneio romântico.

Gostava de alugar um cacilheiro, que ficasse por minha conta, e ali ficar com outro alguém, velas, música ambiente, o cheiro do rio, o amor. Nós dois e a lua.

Se vocês soubessem como fui gozada!! "ah e tal, tinha d ser um cacilheiro, es mmo brega", "ve-se mmo q n andas d cacilheiro diariamente", "olha-me o tamanho da coisa". "um pedido de casamento ali dentro devia ser uma coisa esperta" (pq eu ja sonhava q me pediam em casamento la dentro). Só rir... às tantas já se falava da carris e dos comboios do pragal.

Mas eu fico na minha: surpreendam-me. Aluguem um veleiro (pronto, assim está melhor?), levem-me a passear, dêem-me mimos, e peçam-me em casamento.

Sou uma incompreendida :PPP

5 comentários:

Sinhó disse...

je je...fala c/a Tânia que smp sonhou casar-se a bordo de um:)

abox disse...

hmm um veleiro tb me soa melhor!! ;)

apipocamaisdoce disse...

Quando falas do cheiro do rio, estás-te a referir exactamente ao quê???

Ana disse...

Quando se está com alguem especial e existe todo esse clima...até um simples barquito de borracha pode ser a coisa mais romantica deste mundo...

Deixa lá, Rita...eu entendo-te.

Anónimo disse...

pois... cacilheiros. eheheh.
toma la 100 paus e vai dar uma volta ;)
assim q te der o cheiro a "pitroile" e a mare vazia... perde todo o romantismo. bjs ;)