quarta-feira, 17 de agosto de 2005

O pequeno Tomás

As crianças são terríveis. Hoje foi lá ao escritório uma ex-colega com o seu filhote, o Tomás. De apenas 3 anos, a fazer 4 no mesmo dia que eu, o miúdo libertava energia, palavras, inteligência, atrevimento e rebeldia.

Às minhas primeiras perguntas presenteou-me com uns "sim" desconfiados. De seguida já falava pelos cotovelos e me contava a vida toda, ou não fosse um balancinha típico!

Viu umas pastilhas coloridas e perguntou o que eram. Respondi e perguntei se queria uma. "Só perguntei o que era, não disse que queria. Não posso comer pastilhas". Ora toma e embrulha!

De seguida vieram os nomes completos dos pais, a história da casa com piscina onde passou férias o ano passado e que vai repetir este ano. Que já só faltam 4 dias para o papá estar livre do trabalho e irem os 3. Falou-me do mano que vem a caminho: "o Simão vai nascer muito pequenino e com os olhos fechadinhos". Da praia onde costuma ir: "há lá muitas ondas mas eu vou com o meu pai mergulhar". Falou-me das outras praias onde vai, e à minha observação "e nessas não há ondas" ele disse indignado: "em todas as praias há ondas".

E no fim rematou: "quando eu for grande venho visitar-te sozinho e comemos pastilhas juntos está bem?".

Quem fala assim não é gago : ))

Sem comentários: