sexta-feira, 25 de fevereiro de 2005

Espuma dos dias

Acordar tarde, espreguiçar, ligar o computador e ir tomar banho. Almoçar. Sair de casa para ir ter com a frasquinho. Um sumo de morango e uma baba de cabelo, para mim, um sumo e um pastel de massa tenra, para ela. Cinema às 16h30. Relatório Kinsey. Menos 3.80 Euros para mim. King Card dela a bombar. Deixá-la em casa, ir buscar a Kika. Rumar em direcção da casa do mano grande, para visitar o baguito. Voltar a derreter-me toda com o meu sobrinho, pegar ao colo, dar mimos, falar com ele... Jantar com o mano e a cunhada. Pizzas. Rumar a casa. Pipo vai buscar-me. Rumar a um café em Campo de Ourique. Conversar. Namorar. Comprar um chocolate para comer ao deitar. Sou deixada em casa com um beijo de amor. Subo. Visto o pijama. Abro a cama. Preparo-me para me deitar. Penso que amanhã o dia não será muito diferente. Há uma certa tristeza no pensamento. Mas há também algumas certezas:

- Frasquinho, a nossa amizade está cada vez melhor. Para alguma coisa serve estarmos as duas com vida de inúteis!
- Baguito, só tu me proporcionas o sorriso mais espontâneo do mundo. És o bébé mais lindo do mundo e arredores.
- Pipo, mesmo quando não temos ideias para programas, amo-te mais e mais.
- Mano grande, tenho saudades de quando vivias cá em casa.
- Kika, já tinha saudades tuas mas hoje não chegou para "matá-las".
- Nada como trabalhar para termos o nosso próprio $, podermos ter o King Card, ir ao cinema e geri-lo como bem entendermos.

Assim é a espuma dos meus dias...

1 comentário:

Psico_Pata disse...

:)

Sim,longe vão os tempos das faíscas.Tb gosto mto de ti,pulguita!se n fosses tu,nem sei muito bem como eram as minhas tardes...e aproveita q eu n sou de declarações destas muitas xs.;)