quinta-feira, 20 de janeiro de 2005

Importa-se de repetir?

Será possível que não chamem uma pessoa a uma entrevista de emprego por "excesso de currículo"? Onde é que já se chegou? Teremos de passar a omitir informação se quisermos trabalhar?

Todos os dias envio currículos de resposta a anúncios e o que é facto é que o feedback é pouco ou nenhum. Não percebo se serão muito exigentes ou se sou eu que exijo de mais:

No outro dia fui a uma entrevista para tradução a full-time, numa empresa de sistemas de informação, e o campo "remuneração" era de preenchimento obrigatório. Ora, sem pestanejar escrevi 800 Euros (e aquilo era na Parede, por isso até pedi pouco). Tal não é o meu espanto quando olho para a gaja ao meu lado (que era burra de tds os dias, formada mmo em tradução e dizia q a tinham enganado pq os testes eram p fazermos retroversão e n tradução, e q assim já n sabia fazer...). Ok, desculpem, já me dispersei. Estava a contar: quando olhei para o lado e olho para a folha da rapariga que foi a entrevista no mmo dia q eu. Ora, então n é que a "andorinha" pedia 400 euros de remuneraçao???????? Fiquei para morrer. A achar q a tipa era d outro planeta... ninguém no seu perfeito juizo pede aquele valor para um emprego a tempo inteiro... só se a miúda tem noção que n dá uma p a caixa e a sua sensatez a impede de pedir mais... (sou má confesso...)

Enfim, tb n interessa nd pq entretanto recebi um mail a dizer que n passei à segunda fase (o q n me chateou muito pq passar os dias a traduzir coisas de informática não é propriamente o meu sonho!).

Ora se até para estágios remunerados eu envio e n me chamam, as minhas dúvidas persistem: que mal tem o meu currículo?

Meus caros, a menina n está desesperada... é só p verem o estado do nosso país. Tá malecos... entretanto vou comprando o DN, vendo os anúncios, acordando mais tarde e esperando que o telefone toque : )


Sem comentários: