terça-feira, 20 de julho de 2004

Hello Kitty


A bonequinha da minha infância


Quase de férias ...

 
 
 
Dentro de dias estarei a contemplar esta vista ...
ALGARVE AGUARDA-ME

segunda-feira, 19 de julho de 2004

Adoro-te

Cada dia que passa estás mais no meu coração, na minha vida, no meu pensamento. Uma coisa que começou por acaso, do nada, e da qual não se esperava que fosse algo por aí além, está a dar que falar. A vida é mesmo uma caixinha de surpresas...
 
Já não abdico de estar contigo, de te abraçar, de ouvir a tua voz, de saber de ti, sentir o teu cheiro. Estamos cada vez mais cúmplices, as nossas conversas, as nossas brincadeiras, a nossa amizade, o nosso silêncio agradável, a nossa entrega mútua... toda uma mistura de factores...
 
Só queria que estas palavras chegassem até ti, que vivessem o momento...
 
 
 
 

domingo, 18 de julho de 2004

Foda-se o Passado ; )

Há uns tempos atrás resolvi deitar fora o conteúdo de uma enorme caixa, estilo loja "CASA". Lá dentro havia "n" coisas: cartas de amor, fotos, postais, pauzinhos de idas ao chinês, colherzinhas que usei para comer gelados , pulseiras velhas, rosas já mais do que secas, bilhetes de cinema, tudo praticamente relacionado com alguém que fez parte da minha vida durante largos anos.
 
Durante muito tempo não tive coragem de me desfazer das coisas, sentia que ao fazer isso, parte de mim iria arrastada. Doía-me a alma só de pensar em tal ideia.
 
Por outro lado, e embora digam vezes sem conta que "recordar é viver", cada vez que abria a dita caixa, eu recuava no tempo e revivia tudo de novo. Cada saída, cada beijo, cada sorriso, cada carta...
 
Um dia acordei e percebi que as recordações estão no coração. Que o que realmente nos marca está-nos na alma e não em caixas. E que podem até passar 10 ou 20 anos, mas o bom das coisas vai acompanhar-nos sempre, e o mau vai servir-nos sempre de lição. Sem caixas para nos lembrar disso, mas sim com a parte do coração que retém aquilo que é muito mais do que um pormenor.
 
Consegui deitar tudo fora e hoje tenho a máxima de não guardar nada. Vou ao cinema e deito fora o bilhete, por exemplo.(dantes escrevia com quem tinha ido, a data e a hora). Aproveito cada momento, entrego-me a quem realmente gosto  e olho para o meu passado com um sorriso triunfante de quem pensa:
 
"As Críticas não me abalam, os elogios não me iludem, sou o que sou e não o que dizem! Vivo o presente, temo o Futuro e foda-se o Passado!" ; )
 
 


sexta-feira, 16 de julho de 2004

Medo

Tenho medo de perder as minhas melhores recordações neste tempo que passa; tenho medo de um dia mais tarde não me lembrar da minha infância, da primeira caneta que utilizei na escola e da imagem das minhas professoreas primárias.
Tenho medo que tudo se esvaneça como uma peça de tecido que vai desbotando aos bocadinhos com o sol e que, mais tarde, não consiga distinguir as cores que tiveram os meus dias.
E hoje que penso nisso, também percebo que este blog ajuda-me a não esquecer.

Sevilha

Conheçam melhor a cidade para onde vou viver, durante 4 meses, em
 
http://rotas.xl.pt/0403/a01-00-00.shtml 
 
OLÉ

quinta-feira, 15 de julho de 2004

Terminou

Tento ser forte, aparentar nada temer. Estar firme e segura. Tu olhas-me como que a tentar ler o meu pensamento e eu esforço-me por te passar algo bom. Tudo menos tristeza, dor, medo. Sorrio-te como que a dizer "gosto de ti". Afagas-me o cabelo, encostas a tua cara na minha, sinto o teu cheiro. Sou uma pequena criança protegida do mundo. Penso que realmente gosto de ti. Aperto-te com força. Não te quero deixar fugir mas sei que não depende de mim. Vivo o momento. E rezo para que não termine. Mas terminou...



Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda

terça-feira, 13 de julho de 2004

Férias precisam-se

Será normal estar em pleno local de trabalho e só pensar em mar, praia, nadar, descansar?? Acho que estou a dar em doida... todos os santos dias me sinto cansada e só sonho com férias. SOCORRO!

domingo, 11 de julho de 2004

Beleza a quanto obrigas

Este fim de semana resolvi cuidar de mim... fui cortar e arranjar o cabelo, arranjei também as unhas, fui à depilação. Enfim, aquilo que para os homens é mais do que normal para uma mulher fazer. Eles não sabem é que tudo isto custa uma pipa de massa... não sonham que quando vamos pagar quase que nos dá um "baque"...

Sugiro um subsídio para que as mulheres se mantenham lindas e esbeltas, para se sentirem bem consigo e para agradar aos outros : ) ... sem tal encargo finaceiro!

Chamem-me futil ou o que quiserem mas, atire a primeira pedra quem não gosta de ver uma mulher cuidada!

E mais não digo!

Mais dúvidas

Realmente não existe nada mais ingrato do que ouvir palavras como "estás-te nas tintas" ou "não queres nem saber", quando temos plena consciência que realmente nos preocupamos e tentamos dar apoio. Pelos vistos esperam sempre mais de nós...
Apetece mesmo dar razão, ficar mesmo nas tintas e não querer saber de nada! Aí talvez já não tenham nada para nos dizer ou apontar... digo eu... (ouvimos sempre coisas inesperadas mesmo)

Se temos que aceitar as pessoas como elas são e respeitá-las, assim como aos seus "timings", porque não podemos ser aceites assim e respeitadas, sem ter de ouvir as tais frases maravilha?

Teremos de estar sempre lado a lado para provar que apoiamos as pessoas de que gostamos? Não arredar pé? Se calhar temos... o erro provavelmente está em mim. Esqueçam, lá isso!

sexta-feira, 9 de julho de 2004

O Principezinho é que tem razão...

“Grown-ups never understand anything for themselves and it is tiresome for children to be always and forever explaining things to them”.

The Little Prince, 1943

quinta-feira, 8 de julho de 2004

Pessoa rulaaaaa

Dizem...
Esquecem
Não dizem...
Dissessem
Fazem?
Fatal
Não fazem?
Igual
P'ra quê esperar?
Tudo é sonhar

Fernando Pessoa

quarta-feira, 7 de julho de 2004

Olé!

Decidi e está decidido: vou rumar a Espanha durante 4 meses!
Estou feliz, ansiosa, cheia de expectativas! Vou conhecer gente nova, vasculhar toda uma cidade que apenas conheço superficialmente, aprender a falar e escrever espanhol, sair de Portugal e respirar outros ares. Vai fazer-me bem, vou enfrentar pequenos medos que me acompanham. Crescer e aprender a desenrascar-me. Não vejo a hora...

Olé!

(... e vou sentir a vossa falta, dos mimos, dos sorrisos, dos abraços, e quando voltar esgano-vos com tanta lamechice!)
(Cláudia, Inês, Lé, Sinha, Jordan, Pipo, mano, mami, and so on... lá vos espero) (calma, ainda não fui, ao contrário do que parece neste post : P)

Intacta Memória

Intacta Memória

Intacta memória - se eu chamasse
Uma por uma as coisas que adorei
Talvez que a minha vida regressasse
Vencida pelo amor com que a lembrei.

Sophia de Mello Breyner Anderson

sábado, 3 de julho de 2004

quinta-feira, 1 de julho de 2004

Try

All I know
is everything is not as it's sold
but the more I grow
the less I know
and I have lived so many lives
though I'm not old
and the more I see the less I grow
the fewer the seeds the more I sow

then I see you standing there
wanting more from me
and all I can do is try
then I see you standing there
wanting more from me
and all I can do is try

I wish, I hadn't seen
all of the realness
and all the real people
are really not real at all
the more I look the more I love
the more I cry the more I cry
as I say goodbye to the way of life I thought I had designed for me

all of the moments that already past
try to go back and make it last
all of the things we want each other to think
we never will be
we never will be as wonderful
that's love
that's you baby, this is me baby
we are, we are, we are, we are, we are, we are,
free
in our love
we are
free in the love
try!!!

(Nelly Furtado)