segunda-feira, 29 de novembro de 2004

Nós na garganta

Há dias que nos ficam na memória e em que cada vez que pensamos neles voltamos a sentir tudinho, como se tivesse sido ontem... o tal nó na garganta, moinha no estômago...

As mudanças de escola, as despedidas dos amigos que supostamente seriam "para sempre" (existe isto do para sempre???? dúvido...), a ansiedade de conhecer outro local, outras pessoas, o n saber se vamos gostar, se nos vamos dar bem...

A primeira tampa do nosso primeiro namorado, aos nossos 15 anos, quando julgamos que somos tudo para ele... a primeira grande desilusao... quando o vemos com outra pessoa q percebemos que afinal n eramos unicas...

Quando alguém que nos é muito importante se vai deste mundo sem q estejamos à espera e fica tanto por dizer...

Quando temos de nos despedir de pessoas que realmente gostamos e damos por nós a sentir dor pq vamos estar longe... ou porque acabaram aquelas férias tao divertidas... e n nos vamos ver tao cedo...

Agora que estou nos últimos dias de Sevilha e começo a ver que começam as despedidas, cada vez que chego a casa, na Av. Ramon y Cajal, parece tudo muito vazio, demasiado grande e calmo para aquilo a que estamos habituados. E o nó na garganta volta de novo. E lisboa está cada vez mais perto... e eu devia estar tudo menos nostálgica...

SHOW MUST GO ON!!!


Rita



3 comentários:

daqui disse...

imprimi este post porque é muito, muito bom saber que há por esse mundo fora muita companhia para os nossos nós. :)

Rita disse...

o que é verdadeiramente bom é saber que somos lidos... brigada ; )

100tidos disse...

Qdo me sinto perdida, repito baixinho essa música dos Queen.De nó na garganta, mas a acreditar q este n me há-de estrangular e que em breve conseguirei desatá-lo.Para isso, conto com pessoas como tu! Obrigada pulguita.Por tudo.Tb eu digo q Sevilla "valeu a pena", pq estás mais perto de mim...:)