quarta-feira, 20 de outubro de 2004

Cheira a outono

Estou na redacçao. Só me dao notícias de colégios inundados, pessoas encontradas mortas na rua ou cursos de aves, para redigir. Para além disso, quando acho que escrevi bem um texto, apercebo-me que afinal podia estar bem melhor e quando, ao inverso, penso que um texto está uma bela porcaria, fico contente porque afinal n estava tao mal assim... (n façam essas caras!)

Lá de fora vem um cheiro saboroso a castanhas assadas que me lembra que estamos no outono. Estou de t-shirt de mangas cavas, por irónico que pareça. Cá dentro está calor...

De manha fui a uma "rueda de prensa" sobre os gastos da igreja em 2003. Estava presente o Cardeal cá do sítio e um "monte" de padres. Foi uma bela seca. Para ajudar à festa, chovia "a potes" e o vento ia-me levando pelos ares.

À hora do almoço fui, finalmente, inscrever-me no ginásio. Amanha é o 1º dia. Vai ser bonito, vai, vai... Mas os meus "michelins" obrigam-me a tal...

O Bernardo já chegou e já se instalou lá em casa. Faz imenso desporto: foi correr já hoje, trouxe pesos e coisas próprias de ginásio para fazer exercício em casa... enfim, é magro, n tem banhas e está bem tratado. (ao contrário de mim que sou uma desleixada!)

Devo confessar que neste momento já estou na fase do olho-para-o-relogio-de-5-em-5-minutos, porque quero mesmo é ir para casa. Esta é a pior altura do dia. Quase 9 da noite e ter de estar a trabalhar...

Ontem, a propósito da vinda do nosso (querido?) presidente da republica, Jorge Sampaio, cá a Sevilha, o meu director pediu-me para ligar para o consulado de Portugal para ver se conseguia uma entrevista. Esqueceu-se foi que às 9 da noite n se liga p esse tipo de sítios... mas ok, lá liguei com o meu espanhol manhoso. Começo a explicar e o homem matou-me logo qd me disse "mira, que son las nueve de la noche!"(q é como quem diz, "manca-te pá, achas q sao horas de ligar p onde quer q seja?"). Tentei manter a pose e continuei a falar até detectar que o espanhol dele também era meio "espanholês" ou "portunhol". N fui de modos e perguntei "habla usted portugues?" ao q ele disse logo q sim. E pronto, fiquei feliz da vida e falámos em português. Quando pergunto "estou a falar com?..." e ele me responde "com o Consul principal", ia-me caindo tudo. Ia morrendo de vergonha. Fiquei sem saber onde me enfiar, o que fazer... a minha sorte foi que o senhor tornou-se super simpatico a partir do momento em q se viu a falar com uma conterrânea. Enfim, mas nd de entrevistas, azarito!!! (tanta merda para nada!)

Pronto, agora vou tentar sair de fininho, antes q se lembrem de me dar mais uma notícia macabra, ahhahaha!! (refilo, refilo, mas adoro!)

beijinhos,

rita









Sem comentários: