quinta-feira, 15 de julho de 2004

Terminou

Tento ser forte, aparentar nada temer. Estar firme e segura. Tu olhas-me como que a tentar ler o meu pensamento e eu esforço-me por te passar algo bom. Tudo menos tristeza, dor, medo. Sorrio-te como que a dizer "gosto de ti". Afagas-me o cabelo, encostas a tua cara na minha, sinto o teu cheiro. Sou uma pequena criança protegida do mundo. Penso que realmente gosto de ti. Aperto-te com força. Não te quero deixar fugir mas sei que não depende de mim. Vivo o momento. E rezo para que não termine. Mas terminou...



Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda

Sem comentários: